Santa Catarina tem alagamentos e alerta para deslizamentos com chuva persistente

Em Praia Grande, cinco casas ficaram inundadas durante a madrugada desta terça-feira (8); 20 municípios têm risco de deslizamento

As fortes chuvas que atingem Santa Catarina nesta terça-feira (8) provocaram alagamentos e acendem o alerta para o risco de deslizamento em 20 municípios da região Sul.

Cinco casas foram alagadas em Praia Grande – Foto: Defesa Civil Praia Grande/Divulgação/ND

Praia Grande lidera a lista divulgada nesta manhã pela Defesa Civil Estadual, onde choveu 135 mm nas últimas 24 horas. Em seguida, está o município de Jacinto Machado, cujo volume de chuva nas últimas 24 horas foi de 112 mm e Santa Rosa do Sul, com 111 mm.

O mesmo ocorreu em outras cidades, como em Sombrio, Turvo e Criciúma, com 108, 104 e 103 mm de chuva, respectivamente, nas últimas 24 horas. São João do Sul, Araranguá, Içara e Maracajá fecham a lista de cidades com alto risco de deslizamento.

Há possibilidade também em outras 10 cidades, mas com risco menor. São elas: Meleiro, Forquilinha, Laguna, Morro da Fumaça, Timbé do Sul, Nova Veneza, Morro Grande, Tubarão, Santa Rosa de Lima e Balneário Gaivota.

Deslizamentos

A Defesa Civil Estadual informou que houve registro de queda de barreira na manhã desta segunda-feira (7) na rodovia SC-390, no trecho da Serra do Rio do Rastro em Lauro Müller.

O trânsito ficou em meia pista até o fim da manhã. Nesta madrugada, houve deslizamento na Serra da Rocinha.

Inundações

Na madrugada desta terça, cinco casas ficaram alagadas no bairro Primeiro de Maio, na entrada do município de Praia Grande.

Conforme Thiago Leffa, coordenador da Defesa Civil Municipal, um valo não suportou a vazão da água e transbordou, atingindo as casas mais baixas do bairro. Ninguém ficou ferido.

Apesar do alagamento, nenhuma família precisou sair de casa. Agentes da Assistência Social do município se deslocaram para o bairro para atender as famílias atingidas.

A prefeitura de Praia Grande enviou máquinas do setor de obras na tentativa de dar maior vazão e evitar novas inundações. Outro ponto de alagamento foi na localidade rural de Pintada. Segundo Leffa, um bueiro na estrada não conseguiu conter o volume de água e transbordou, invadindo roças ao redor.

Cinco casas ficaram alagadas no bairro Primeiro de Maio, em Praia Grande – Foto: Defesa Civil Praia Grande/Divulgação/ND

Também durante a madrugada, a cabeceira de uma ponte desmoronou parcialmente na comunidade de Figueira. A Defesa Civil de Praia Grande reforçou que tem monitorado as ocorrências no município, uma vez que a previsão indica chuva persistente na região.

Risco de ressaca e ondas de 2,5 metros

Na Grande Florianópolis e no Litoral Sul há ainda risco de ressaca. Segundo a Defesa Civil, a previsão é de mar agitado com ondas de sudeste/leste e picos de altura de 2,5 metros nas duas regiões.

No Planalto Norte, Grande Florianópolis, Vale do Itajaí, Litoral e Planalto Sul há previsão de chuva com possibilidade de queda de raios. As informações são da Epagri/Ciram.

Em razão do mar agitado e da previsão de ressaca, a recomendação da Defesa Civil é que se sejam evitadas a atividade de pesca e a navegação. Além disso, deve-se evitar o banho de mar e a prática de esportes náuticos.


Com Agências