Myanmar abre mercado para carne suína do Brasil, diz associação de frigoríficos




Porém, não informadas quantas unidades brasileiras foram autorizadas pelo país. Frigorífico de carne suína em Mato Grosso do Sul – foto tirada antes da pandemia

Frigoríficos do Brasil ganharam autorização para exportar carne suína para Myanmar, disse nesta terça-feira a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), citando informações do governo federal.


“A abertura de mercado já conta, inclusive, com Certificado Sanitário Internacional (CSI) publicado no sistema do Ministério brasileiro”, afirmou a associação em nota.


A entidade, no entanto, não detalhou quantas unidades foram habilitadas pelo país asiático.


O presidente da ABPA, Francisco Turra, ressaltou no comunicado que Myanmar é uma das nações da Ásia que tem sofrido com perdas geradas pela peste suína africana, com impacto direto na oferta local de proteína animal.


“Neste contexto, o Brasil, que já é parceiro do país asiático para o abastecimento de carne de frango, agora consolida sua posição também no setor de suínos”, disse o executivo.


Com 53 milhões habitantes, a população de Myanmar tem consumo per capita médio de 17,5 quilos anuais de carne suína, informou a ABPA.