Justiça determina bloqueio de mais de R$ 45 mil em bens de educadora infantil suspeita de abusar de crianças de três anos em Cianorte

justica-determina-bloqueio-de-mais-de-r$-45-mil-em-bens-de-educadora-infantil-suspeita-de-abusar-de-criancas-de-tres-anos-em-cianorte

Educadora de um Centro Municipal de Educação Infantil está presa preventivamente desde junho. Segundo as investigações, abusos ocorreram contra quatro meninos em 2018. Uma educadora infantil suspeita de abusar sexualmente de quatro crianças de três anos em Cianorte, no noroeste do Paraná, foi afastada, de forma liminar, do cargo por determinação da Justiça. De acordo com o Ministério Público do Paraná (MP-PR), também foi determinado o bloqueio de R$ 45.910,80 em bens da investigada.


A educadora foi presa preventivamente em junho. O caso passou a ser investigado pela Polícia Civil em abril após denúncias de pais de duas crianças que estudavam em um Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI).


Conforme a apuração da Polícia Civil, em 2018, nas dependências do CMEI, a investigada, que trabalhava com uma turma do maternal, abusou sexualmente dos meninos.


Depois disso, ainda segundo as investigações, as crianças passaram a adotar comportamentos inadequados que chamaram a atenção dos pais.


Em fevereiro deste ano, os fatos que aconteceram no CMEI foram revelados pelas crianças aos familiares. Elas foram encaminhadas para atendimentos psicológicos e o caso denunciado à Polícia Civil.


A Polícia Civil diz que os fatos narrados foram confirmados pelas crianças à psicóloga. Atualmente, a educadora é investigada criminalmente pelo Ministério Público e está presa preventivamente.


A decisão pelo afastamento do cargo e pela multa equivalente a dez vezes o salário que a investigada recebe do município se deu em uma ação civil pública por improbidade administrativa movida pelo MP-PR.


O MP-PR também pede que a educadora seja condenada conforme a Lei de Improbidade, que prevê, entre outras medidas, a suspensão dos direitos políticos.


A Prefeitura de Cianorte não se manifestou sobre o caso até a publicação desta reportagem.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.