Exército encontra militar venezuelano amarrado em Pacaraima após confusão em trilha clandestina




Ministério da Defesa informou que militar venezuelano foi amarrado e deixado do lado brasileiro; ele foi entregue em segurança de volta ao território venezuelano. Confusão foi na noite dessa segunda-feira (27) quando grupo tentou entrar na Venezuela por rota clandestina que liga o país a Pacaraima, no Norte de Roraima. Exército solta militar venezuelano amarrado após uma confusão na fronteira


Militares do Exercito Brasileiro libertaram um soldado da Guarda Nacional da Venezuela que havia sido amarrado noite dessa segunda-feira (27) durante uma confusão em uma trilha clandestina que liga o país a Pacaraima, no Norte de Roraima.


A confusão ocorreu em uma trilha próximo à comunidade do Kauê, quando um grupo de pessoas, entre brasileiros e venezuelanos, tentou entrar na Venezuela com produtos de descaminho [importação ou exportação de mercadoria proibida], informou a assessoria do Exército, em Boa Vista. A suspeita é que eles estavam com combustível.


“O militar venezuelano, após ter sido entregue de forma pacífica às tropas do Exército Brasileiro, foi conduzido em segurança de volta ao território venezuelano e apresentado ao comando da tropa da Guarda Nacional Bolivariana presente na linha de fronteira”,


De acordo com a assessoria da 1ª Brigada de Infantaria de Selva, ao saber da confusão, a tropa brasileira que faz patrulhamento na região foi até o local e encontrou o soldado venezuelano amarrado, por volta de 22h. Ele estava no lado brasileiro, conforme o Ministério da Defesa.


Imagem feita em vídeo mostra militares brasileiros desamarrando militar Guarda Nacional Bolivariana


Reprodução/Redes sociais


“Foi constatado pela tropa brasileira que se tratava de um militar venezuelano que supostamente fora tomado como refém por civis e, posteriormente, trazido para o lado brasileiro”, informou em nota o Ministério.


Um vídeo que circula nas redes sociais mostra dois militares brasileiros desamarrado o venezuelano, enquanto várias pessoas ao redor, falam em português e espanhol. Nas imagens ele aparece o chão, com as mãos amarradas para atrás. De acordo com o Exército, ninguém foi preso.


Após o militar ter sido solto, os comandantes das duas tropas conversaram e “ficou esclarecido que as pessoas não poderiam adentrar a Venezuela por aquela trilha”.


“Em nenhum momento tropas da Venezuela passaram para o lado brasileiro da fronteira, apenas cumpriram seu papel evitando que pessoas passassem para o lado venezuelano sem o devido processo de ingresso no país vizinho”, informou em nota a 1ª Brigada.


Ainda conforme o Exército, as tropas dos dois países na faixa de fronteira “é amistosa e de colaboração, seguindo o prescrito nas leis brasileiras e venezuelanas.”


A comunidade Kauê, de acordo com a prefeitura de Pacaraima, fica localizada entre a Raposa Serra do Sol e a reserva São Marcos, distante quase 3 Km da sede.