Em defesa da vida


Arita Bergmann, secretária da Saúde

Frequentemente, deparo com a seguinte indagação vinda dos mais diferentes segmentos da sociedade. O Rio Grande do Sul não tomou cedo demais as medidas de restrição da circulação de pessoas e, consequentemente, das atividades comerciais e industriais em função chegada da Covid-19?

Por tratar-se de uma doença nova, sem vacina nem medicação comprovada, acredito que tomamos as medidas no momento certo. Foi o tempo adequado para, de um lado, desacelerarmos a transmissão do vírus no Estado e, de outro, estruturarmos a rede assistencial de saúde.

No início, fizemos diversas ações: monitoramos os viajantes; levamos informação à população; apoiamos os municípios na assistência básica; adquirimos EPIs; ativamos em janeiro o Centro de Operações Emergenciais (COE); fomos um dos primeiros Estados a elaborar o Plano de Contingência e Ação, no começo de fevereiro; e estruturamos o Lacen, ainda lá em março, para ser o primeiro laboratório entre os Estados a realizar o teste RT-PCR sete dias por semana.

Ampliamos em 75% o número de leitos de UTI, saltando de 933 para 1.630 unidades SUS. Não fosse esse trabalho, hoje já estaria faltando leitos para os gaúchos. E vamos ampliar mais. Assim como vamos colocar em prática, na segunda quinzena de julho, o Testar RS, programa em parceria com o Todos Pela Saúde e o Ministério da Saúde que vai permitir a testagem diária de mais 4 mil gaúchos, pelo método RT-PCR (o chamado teste ouro, devido à confiabilidade).

Assim, a freagem da circulação de pessoas foi medida justificada para nos prepararmos. E aconteceu, não podemos esquecer, no momento em que a comunidade internacional disputava respiradores e máscaras.

Por outro lado, também acredito que levaremos algum tempo para firmarmos todas as nossas certezas. Hoje, ainda temos mais perguntas do que respostas. Mas uma coisa é certa: primamos pela prevenção, pelo cuidado e pela necessidade de mostrarmos à população que esse é um vírus letal que paralisou o mundo. Agimos em defesa da vida de todos nós.

Com Agências