Contas externas têm superavit de US$ 2,2 bilhões em junho

As contas externas brasileiras tiveram superavit de US$ 2,235 bilhões em junho, segundo dados divulgados nesta 3ª feira (28.jul.2020) pelo BC (Banco Central). Eis a íntegra (265 Kb).

O resultado foi o junho da série, iniciada em 1995. Também registrou o 3º mês seguido de saldo positivo.

As transações correntes do setor externo são formadas pela balança comercial, pelos serviços adquiridos por brasileiros no exterior e pelas rendas, como remessas de juros, lucros e dividendos do Brasil para o exterior.

O valor de junho é 18% menor do que o registrado no mesmo mês de 2019, quando somou US$ 2,659 bilhões.

Na prática, a desaceleração da atividade econômica, impulsionada pelos efeitos da pandemia de covid-19, puxou o superávit.

Houve redução de US$ 2,2 bilhões no deficit de serviço e aumento de mesmo valor no superavit comercial. Eis 1 resumo do resultado das contas externas em junho:

O déficit em transações correntes no primeiro semestre de 2020 somou US$9,7 bilhões, recuo de 53,6% em relação aos US$21 bilhões registrados no mesmo período de 2019.

Em 12 meses, somou US$ 38,2 bilhões, ante US$ 43,1 bilhões contabilizados em maio. Atualmente, corresponde a 2,35% do PIB (Produto Interno Bruto).

INVESTIMENTO DIRETO NO PAÍS

O IDP (investimentos diretos no país) atingiram US$4,8 bilhões em junho. Houve alta de 728% em comparação com o mesmo período do ano passado. Os ingressos líquidos melhoraram no mês depois de serem impactados em abril e maio com a pandemia de covid-19.

Nos doze meses encerrados em junho de 2020, o IDP totalizou US$71,7 bilhões, em comparação com US$67,5 bilhões no mês anterior.