CNI: apesar de índice acima de 50 pontos, minoria na indústria mostra real confiança nos negócios

Os empresários das indústrias que fabricam produtos de limpeza, perfumes, higiene, medicamentos, móveis, alimentos e plásticos estão entre os mais empolgados com a economia brasileira agora em julho.

No Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI), divulgado nesta terça-feira (28) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), todos estão acima dos 50 pontos. Isso significa que eles acreditam em um desempenho melhor do setor neste mês.

Mas o gerente de Análise Econômica da CNI, o economista Marcelo Azevedo, detalha que foram analisados 30 setores da indústria, e apenas a minoria expressou real confiança com as condições de negócios.

O índice de confiança do empresário industrial também revelou que os setores de impressão e reprodução de gravações, calçados, couros, roupas, acessórios e especializados em serviços para a construção civil são os menos confiantes com a economia. O gerente de Análise Econômica da CNI, o economista Marcelo Azevedo, revela os motivos.

Também houve aumento no índice de confiança empresarial no setor de extração de minerais não metálicos, que ficou em 54 pontos. Entre os empresários do setor de móveis, o índice ficou em 53,7 pontos.

Já o setor da indústria de construção é o menos confiante com a economia. O índice de confiança desses empresários está em 46 pontos. Isso significa que eles não acreditam no bom desempenho do setor durante este mês.

A pesquisa foi realizada com mais de 2,3 mil empresários, a maioria, donos de pequenas empresas, entre os dias 1º e 13 de julho.