Brasília não terá desfile de 7 de setembro pela 1ª vez desde fim da ditadura

A pandemia de covid-19 fez com que o governo federal cancelasse o tradicional desfile cívico-militar de 7 de setembro na capital federal. É a 1ª vez que não haverá a parada desde a redemocratização em 1985.

Em vez de reunir multidão em apresentações pela Esplanada dos Ministérios, Bolsonaro participa nesta 2ª feira de 1 evento simbólico de hasteamento da bandeira restrito ao público no Palácio da Alvorada.

Há 1 ano, o presidente Jair Bolsonaro, que foi eleito com 1 discurso de patriotismo, comparecia ao seu 1º desfile de 7 de setembro. Em sua estreia, levou para o palanque 12 ministros e 3 donos de TVs, os empresários Silvio Santos (SBT), Edir Macedo (Record) e Marcelo de Carvalho (RedeTV!).

No evento, o chefe do Executivo federal estava acompanhado da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, dos filhos Carlos, Eduardo, Flávio e Renan Bolsonaro e da filha caçula, Laura.

Campanha online

Outra forma encontrada pelo governo Bolsonaro de evitar que não haja comemorações da semana da independência foi o lançamento da série “Um Povo Heroico” promovida pela Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social) da Presidência da República para homenagear “heróis brasileiros”.

A estrela da produção é o secretário especial de Cultura, Mário Frias. A iniciativa foi elogiada pelo chefe do Executivo em seu Twitter neste sábado (5.set)

O texto que acompanha o vídeo publicado nas páginas da Secom afirma que a série contará a história de “grandes heróis nacionais” ao lado de “heróis anônimos”.

No 1º episódio da série, divulgada no Twitter também nessa 5ª feira (3.set), Mário Frias anuncia o lançamento do projeto. Aparece em uma sala escura, rodeado de objetos históricos, entoando 1 texto com pausas dramáticas e citações ao hino nacional.

“Eles são muitos. Temos bons exemplos em todos os cantos. Até mesmo dentro de casa é possível encontrarmos 1 herói que se sacrifica a cada dia em prol da sua família. Somos 1 povo heróico e encaramos com 1 brado retumbante o destino que nos encara. A nossa história precisa ser contada”, afirma o secretário especial de Cultura.

De acordo com a Secom, a peça publicitária foi desenvolvida para comemoração do 7 de setembro, Dia da Independência do Brasil.


Com Agências