Brasil registra pelo menos 897 mortes por Covid-19 em 24 horas

O Brasil registrou pelo menos 897 mortes em razão da pandemia do novo coronavírus nas últimas 24 horas. O dados do consórcio de imprensa, com informações das secretarias estaduais de saúde, não inclui os números de São Paulo e do Pará. Os dois estados não divulgaram os dados até às 20h.

Foram registrados 38.252 novos casos de Covid-19 desde a noite de segunda (27) até às 20h de terça (28). Até agora, 2.484.649 pessoas foram infectadas com a doença no Brasil, que já soma pelo menos 88.634 mortes na pandemia.

Os dados são fruto de colaboração inédita entre Folha, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo, G1 e UOL para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais. O balanço é fechado diariamente às 20h.

Além dos dados diários, a Folha também mostra a chamada média móvel. O recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

A média móvel registrada nesta terça (28) foi de 1.005.

O Brasil tem uma taxa de cerca de 41 mortos por 100 mil habitantes. Os Estados Unidos, que têm o maior número absoluto de mortos, e o Reino Unido, ambos à frente do Brasil na pandemia (ou seja, começaram a sofrer com o problema antes), têm 44 e 68 mortos para cada 100 mil habitantes, respectivamente.

Estado com mais mortes e casos da Covid-19, São Paulo não divulgou o seu relatório das últimas 24 horas nesta terça-feira (28). Até a noite de segunda, mais de 487 mil habitantes do estado já tinham sido infectados com o novo coronavírus. Foram 21.676 mortes registradas até agora.

O governo de São Paulo alegou problemas técnicos para não divulgar os dados diários nesta terça. A Secretaria Estadual da Saúde afirmou que “divulga os dados extraídos a partir dos dois sistemas oficiais do Ministério da Saúde para notificação por parte dos serviços de saúde e municípios: o E-SUS, onde são notificados os casos leves, e o SIVEP, onde são cadastrados os casos graves e óbitos.”

Segundo a secretaria, há uma “qualificação dos dados, com unificação de registros a fim de evitar duplicidades relacionadas a uma mesma pessoa nos sistemas distintos”. O governo afirmou que “divulgará os números tão logo haja conclusão dos processos de extração e conferência de dados”.