Bolsonaro almoça com Toffoli, Guedes e mais seis ministros

Após uma cerimônia em formato reduzido para comemorar o 7 de Setembro, o presidente Jair Bolsonaro participou de um almoço de confraternização em Brasília com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, e outros sete ministros de Estado neste feriado da Independência, 7 de Setembro.

Organizado pelo ministro das Comunicações, Fabio Faria, o almoço aconteceu na residência do secretário especial de Assuntos Estratégicos, almirante Flávio Rocha, considerado por aliados um dos auxiliares mais respeitados pelo presidente. Segundo presentes, o evento serviu para “descontrair os ânimos” dos governistas. Tanto Bolsonaro quanto ministros passaram a tarde contando e rindo de piadas.

Alvo de críticas dentro do governo por tentar evitar aumento de gastos para investimentos, o ministro da Economia, Paulo Guedes, participou da confraternização ao lado de Tarcísio de Freitas (Infraestrutura), Augusto Heleno (GSI), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Tereza Cristina (Agricultura), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral da Presidência), Fabio Faria, e do secretário de Cultura, Mário Frias. Também esteve presente o deputado federal Helio Lopes (PSL-RJ).

A confraternização ocorreu também em meio à despedida de Toffoli da presidência do Supremo. Nesta quinta, o ministro passa o cargo ao colega Luiz Fux. Na tentativa de construir um armistício patriótico — como defende Fabio Faria —, Bolsonaro deixou de fazer ataques públicos à Corte máxima desde junho. Desde então, o clima entre Judiciário e Executivo tem estado mais amistoso.

Mais cedo, o presidente participou de uma cerimônia de hasteamento da bandeira em frente ao Alvorada, sua residência oficial. O evento foi aberto à população, e centenas de apoiadores compareceram ao local. Os tradicionais desfiles foram cancelados em razão da pandemia do novo coronavírus.

Na cerimônia da manhã, Bolsonaro chegou cercado de crianças e no tradicional Rolls-Royce da Presidência. Sem máscara, cumprimentou seus apoiadores que se aglomeravam na grade que separa os membros do governo do público. O presidente já foi infectado pelo Covid-19.


Com Agências