Após vasculhar quase 12.000 compostos, cientistas encontram 21 possíveis medicamentos para COVID-19

Uma equipe de cientistas internacional analisou uma lista de medicamentos existentes e identificou 21 potenciais tratamentos para combater a COVID-19, escreve o portal EurekAlert.

Os cientistas usaram 11.987 compostos da Biblioteca de Reformulação de Medicamentos ReFRAME da Administração de Controle de Alimentos e Drogas dos EUA (US Food and Drug Administration, FDA, na sigla em inglês) para testá-los contra o SARS-CoV-2 em uma linha de células chamada Vero, cultivada a partir do rim de um macaco-verde africano (Chlorocebus sp.). Os resultados do estudo foram publicados na revista Nature.

“Este relatório fornece à comunidade científica um arsenal maior de armas em potencial que podem ajudar a levar a pandemia global em curso ao calcanhar”, garante o virologista Sumit Chanda, do Instituto Médico Sanford Burnham Prebys, na Califórnia, EUA.

“No início da pandemia da COVID-19, percebemos que a ReFRAME seria um recurso inestimável para a triagem de drogas para se reestruturar contra o novo coronavírus”, contou o químico médico e coautor do estudo Arnab Chatterjee da Calibr, da divisão de descoberta de medicamentos da Scripps Research, que criou a ReFRAME.

Dos 11.987 compostos, 100 inibiram a replicação viral do SARS-CoV-2 em células Vero. Desses, 21 não devem afetar um humano, incluindo o remdesivir. 13 das 21 drogas já passaram por ensaios clínicos prévios.

Os pesquisadores consideram importante que haja um grande leque de escolhas para atacar o vírus que está assolando o mundo, mesmo que, compreensivelmente, nem todas sirvam para os pacientes.

“Embora alguns desses medicamentos estejam atualmente em testes clínicos para a COVID-19, acreditamos que é importante buscar mais candidatos a medicamentos para que tenhamos múltiplas opções terapêuticas”, comenta Chanda.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.