Agência BR - Lisca exalta legado de Felipe Conceição no América-MG e vê semelhanças com Jesus

Lisca exalta legado de Felipe Conceição no América-MG e vê semelhanças com Jesus

Esportes -

Desde que assumiu o América-MG, Lisca comandou a equipe em nove partidas e ainda está invicto, tendo vencido cinco delas e empatado outras quatro. O treinador do Coelho é muito grato a Felipe Conceição, que hoje está no Red Bull Bragantino. Em sua opinião, o antecessor tem um modelo de jogo que se assemelha ao proposto por Jorge Jesus, a grande referência do cenário brasileiro nos dias de hoje.

“Todo mundo falou sempre que o jogador brasileiro tem a sua maneira de jogar, de treinar, que não ia aceitar o método europeu, mas o que estamos vendo é o um treinador europeu fazendo isso no principal clube do Brasil. Hoje é um jogo que não é por intuição, é organizado, planejado… O encaixe das peças foi muito forte. A maneira de marcar com a linha bem alta, futebol zona, joga com praticamente num 4-1-3-2. Cheguei no América e o Felipe Conceição já tinha instituído essa maneira de jogar. O América joga dessa forma, pressionando, induzindo o adversário ao erro”, afirmou o técnico em entrevista à Fox.

Lisca possui 70% de aproveitamento à frente do América-MG

Quarentena não é sinônimo de férias para Lisca. O treinador tem aproveitado para analisar aspectos táticos de diversas equipes do mundo, com destaque para o Liverpool.

“Nesse período de quarentena estou olhando bastante coisa de futebol, bastante conteúdo. Olhando bastante coisa do Klopp, do Liverpool. O América-MG que eu peguei, tinha o Felipe Conceição que usou muito isso como base, a maneira de marcar, de pressionar com a linha alta”, disse o comandante do Coelho.

Ao analisar o sucesso do início de seu trabalho, Lisca ressalta a importância da continuidade de trabalho, já que não houve uma grande ruptura em relação ao que o elenco estava acostumado a colocar em prática sob as orientações de Felipe Conceição.

“O futebol você precisa de sequência. Treinador brasileiro praticamente só pega trabalho no meio, né? Dá sequência em trabalho dos outros. Então tu tem que dar sorte de pegar um bom trabalho e dessa vez na América aconteceu. Anteriormente eu sempre tive dificuldade, como nas vezes de quase queda no Ceará, que eu praticamente saí lá do inferno com o time. E agora eu peguei uma sequência boa do Felipe Conceição, que deixou o time estruturado, organizado, ideia de jogo bem legal, moderna, plantel bem escolhido, jogadores que têm fome de vencer, de conquistar, jogadores de clubes menores”, finalizou.


Fonte: Com Agências

 


 Leitores On Line