Agência BR - Trabalhador pode usar auxílio de R$ 600 em compra direta no Magazine Luiza

Trabalhador pode usar auxílio de R$ 600 em compra direta no Magazine Luiza

Negócios -

Os beneficiários do auxílio emergencial do governo vão poder usar os 600 reais para compras no Magazine Luiza. A varejista brasileira divulgou nesta terça-feira 14 que se conectou com a Caixa Econômica Federal para permitir o uso do valor em seus canais digitais sem a necessidade de um cartão de crédito físico. 

Quem desejar utilizar o auxílio para compras no Magalu poderá usar um cartão virtual da Caixa para pagar. Em um primeiro momento, somente as pessoas cadastradas no Bolsa Família e Cadastro Único que receberem o benefício poderão comprar diretamente no site da companhia. Nas próximas semanas, os desbancarizados terão acesso ao cartão virtual do banco. 

“Os beneficiários do auxílio emergencial poderão fazer suas compras com segurança”, diz Frederico Trajano, presidente do Magalu. De acordo com a empresa, mais de 1.500 itens essenciais, como álcool gel, detergente, sabonetes e fraldas, estão disponíveis em seu marketplace. A companhia oferece frete grátis para os itens de mercado vendidos em seu site. 

Além dos 54 milhões de brasileiros elegíveis para receber o auxílio do governo, a partir de agora os 100 milhões de clientes da Caixa que possuem cartão de débito vão poder comprar diretamente no e-commerce do Magalu. “Vamos facilitar a vida daqueles que não têm conta corrente ou cartões de débito ou de crédito”, afirma Trajano. 

A aposta é no marketplace 

Com a pandemia de coronavírus, o Magazine Luiza intensificou sua estratégia online. A empresa fez um esforço para atrair uma série de produtos de mercado, como fraldas, detergentes e sabão em pó, para o seu marketplace. Juntos, os mais de 15.000 lojistas que usam a plataforma da varejista oferecem 60.000 produtos da categoria para o consumidor. Ao todo, o Magalu tem um portfólio de 15 milhões de itens.

A varejista também decidiu usar sua experiência em venda online para ajudar os pequenos negócios. Percebendo a necessidade neste momento de crise, a empresa decidiu antecipar seus planos e lançou, no final de março, o Parceiro Magalu. A plataforma oferece suporte para microempreendedores individuais (MEI) e empresas com faturamento até 5 milhões de reais por ano. Desde o lançamento, mais de 10.000 micro e pequenas empresas passaram a vender seus estoques nas plataformas digitais do Magalu. 

Por lá, os empresários podem cadastrar seus estoques de produtos no site e aplicativo do Magazine Luiza, se conectando com os mais de 20 milhões de clientes da companhia. As entregas são feitas pelos Correios, sem custo para o lojista. O Magulu vai cobrar uma taxa de 3,99% por venda até o dia 31 de julho.

Para as pessoas físicas, o Parceiro Magalu oferece um sistema de comissões. As pessoas podem criar suas lojas individuais usando todos os milhões de produtos disponíveis no e-commerce. A cada venda realizada, o parceiro receberá uma comissão, como acontece com as revendedoras de empresas de cosméticos. Os bônus por venda variam entre 1% e 12%, a depender do produto. Até agora, mais de 100.000 pessoas já estão cadastradas na modalidade.


Fonte: Com Agências

 


 Leitores On Line