Agência BR - Coronavírus: Mais de 120 mil alertas via SMS já fora emitidos pelo Governo de SC

Coronavírus: Mais de 120 mil alertas via SMS já fora emitidos pelo Governo de SC

Saúde -

O governo estadual passou a emitir alertas via SMS no sábado (11) para informar quem mora em um raio de 200 metros de alguma pessoa infectada pelo novo coronavírus. Na última notificação da Prefeitura, os bairros que mais concentravam casos eram Centro (39), Agronômica (18) e Trindade (14).

 

Mensagens são enviadas sem solicitação para moradores próximo a infectados. Governo estadual também deve lançar, em breve, uma nova base de dados em parceria com a Social Good Brasil – Foto: Valter Campanato/Agência Brasil/ND

Todos os municípios catarinenses são assistidos com os disparos via serviço de disparo via SMS, e especificamente em Florianópolis, os disparos são feitos pela prefeitura. Na mensagem de texto consta “A Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis informa: Caso de Covid-19 perto de sua residência. Reforce as medidas de higienização e fique em casa”.

Segundo o governo estadual, quando um caso é confirmado, as informações continuam preservadas, sem quebrar o anonimato do paciente. “Com a identificação dos aparelhos celulares dos residentes em áreas próximas (não há identificação do titular da linha) as mensagens são enviadas”, afirma.

Leia também:

  • SC está em 18º lugar no país em transparência de dados sobre a Covid-19
  • Prefeitura de Florianópolis divulga casos de coronavírus por bairro da cidade

Caso a mensagem inclua um CEP diferente do endereço atual da pessoa, o receptor deve desconsiderá-la. Conforme o Secretário de Estado da Saúde, Helton Zeferino de Souza, o serviço foi iniciado para ampliar o acesso à informação e orientar cuidados redobrados.

Os alertas são feitos sem que seja feita solicitação, e são disponibilizados pela Associação Catarinense de Medicina, responsável pela ferramenta. Segundo o secretário de Estado da Administração, “as mensagens servem para atualizar a população sobre todos os casos positivados até agora em Santa Catarina”.

Estima-se que nos próximos dias o governo estadual também lance uma base de dados em parceria com a Social Good Brasil. A ferramenta em questão reunirá as informações detalhadas dos casos de coronavírus no Estado.

Monitoramento em discussão

Ao redor do mundo, vários países passaram a implementar estratégias de monitoramento de celulares para mensurar o isolamento. Em Taiwan, por exemplo, cada cidadão recebe duas ligações diárias para confirmar sua quarentena. Ademais, as autoridades chegam no local em 15 minutos caso haja violação do isolamento.

O país foi tomado como exemplo no combate à pandemia, porém tomou medidas rígidas aos olhos de muitos, como pesquisa digital de itinerários, monitoramento de pulseiras eletrônicas, e outras.

Aqui no Brasil, um dos casos mais emblemáticos foi o do governador de São Paulo, João Dória (PSDB), que firmou acordo com a operadora Vivo para monitorar os dados de movimentação dos moradores.

A medida foi criticada, por exemplo, pelo economista Fernando Ulrich, que nas redes sociais afirmou: “Olha a afronta desse cidadão, se vangloriando de monitorar os pagadores de impostos que bancam tudo isso. Liberdade e privacidade indo pelo ralo. Tudo em troca de uma suposta segurança. Vergonhoso. Ultrajante.”

Vídeos de prisões executadas por quebras de isolamento circulam nas redes sociais, com respaldo de agentes do Estado. Sergio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública, afirmou que “a polícia pode impor coercivamente medidas de isolamento e quarentena para evitar a propagação do novo coronavírus”.

Segundo o cientista político Magno Karl, a situação de pandemia pode ser um momento para analisar algumas fragilidades das liberdades civis. “Esse é um momento em que algumas atitudes que não seriam aceitas antes estão sendo tomadas”, observa.


Fonte: Com Agências

 


 Leitores On Line