Agência BR - Aceleramos o novo Ford EcoSport Titanium 2.0 automático

Aceleramos o novo Ford EcoSport Titanium 2.0 automático

Ciência/Tecnologia -

Grande frontal possui controle ativo, que segmenta melhor a entrada de ar Divulgação/Ford "Reforma de emergência." Talvez esta seja a melhor definição da linha 2018 do Ford EcoSport, que não passou por um simples facelifit, e sim por uma enxurrada de mudanças para tentar voltar ao topo do segmento, que a própria marca popularizou no Brasil ao lançá-lo em abril de 2003, o de SUVs compactos. Hoje no cenário nacional, os SUVs compactos estão na moda e representando uma grande porcentagem dos emplacamentos e da cobiça dos brasileiros. A reestilização do EcoSport foi pensada de dentro para fora, tendo claramente um apelo para o conforto e para o visual. Traseira manteve o tradicional estepe Divulgação/Ford A versão topo de linha Titanium, além de ganhar um interior exclusivo, passa a contar com o 2.0 flex do Focus associado ao câmbio automático de seis velocidades. O motor entrega 176 cv de potência (etanol), tornando-se o mais potente da categoria, e desbancando o Hyundai Creta Prestige 2.0, de 166 cv. Se todas as mudanças serão o suficiente para colocar o Ford EcoSport novamente no centro dos holofotes, só o tempo dirá. Mas uma das respostas pode estar na versão Titanium. A Titanium pode ser definida como a versão menos aventureira da linha 2018, sendo voltada para um público mais urbano e que não vai se meter a fazer off-road com o carro. O primeiro indício é que, ao contrário do restante das versões que possuem o interior todo preto, a topo de linha é metade clara e metade escura. Sentado no banco do motorista, abaixo da linha dos olhos, todo o estofamento é em couro na cor cinza bem clara, chegando quase ao branco, e do volante para cima é tudo preto; esta composição de cores mostra claramente, que a versão Titanium é voltada para um público que tem mais cuidado com a limpeza dos bancos e não deseja entrar em situações que suje aquele estofamento clarinho. Para evitar que os bancos fiquem sujos, principalmente com tinta de calça jeans, a Ford colocou a tecnoloigia soyol repellent que facilita a limpeza dos bancos com panos úmidos, através de um sistema parcialmente impermeável, assim como aconteceu no Ford Ka Trail, lançado recentemente. Ford EcoSport Titanium 2018 Divulgação/Ford Como itens de conforto e de auxilio ao motorista a bordo da versão Titanium, o SUV oferece ajuste de altura do banco, ajuste lombar, volante de três braços revestido em couro, com ajuste de altura, de profundidade e botões do lado direito, responsáveis pelos comandos da mídia e do lado esquerdo, comandando o computador de bordo, possuindo ainda paddle shift. Sentando ao volante e olhando para todo o espaço interno, temos a impressão de que estamos em uma nova geração do EcoSport. O desenho do painel é totalmente diferente do antecessor, e de acordo com a própria Ford, mais de 50% das peças internas foram trocadas. O grande destaque vai para a central multimídia SYN3 (terceira geração) com tela flutuante de 8 polegadas, compatível com Apple CarPlay e Android Auto e com velocidade processual bem grande e eficiente; abaixo da tela tem duas entradas USB e um ponto de força de 12V. Essa conectividade foi um dos grandes pontos positivos na composição da linha 2018, já que a Ford prezou muito pelo lado tecnológico e visual. Falando em visual, o teto-solar também deu um ar bem sofisticado ao SUV compacto.  Tela flutuante possui 8 polegadas Divulgação/Ford O interior do novo EcoSport tem ainda como destaque ar-condicionado automático e digital com sete opções de velocidade, função Max A/C que ajuda no resfriamento do carro em dias de calor,  sistema de monitoramento de pressão dos pneus, aviso de portas abertas, aviso dos faróis acesos, banco traseiro rebatível e bipartido, uma série de porta objetos — totalizando 20 —, console central com descansa braço, 5 alto-falantes da Sony, console de teto com porta óculos, vidros elétricos, desembaçador do vidro traseiro, porta luvas climatizado e iluminação no porta-malas;  todas essas peças mesclam contrastes em fosco e em brilhante. O item de segurança mais importante do carro é sem dúvida a presença de 7 airbags — apenas nesta versão Titanium. Este turbilhão de novidades internas não vale para o lado externo, onde as alterações foram bem mais discretas, pois o carro foi pensando de dentro para fora, como já dissemos.  A maior mudança ficou na parte dianteira, que teve a grade superior subindo e está mais unida aos faróis de xenônio e luzes diurnas em led, que também tiveram seu formato levemente alterado, dando um aspecto mais robusto. Já os faróis de neblina estão maiores e instalados em posição mais alta. A traseira teve leve alteração no desenho do para-choque e manteve o tradicional estepe no seu lugar, já que é uma marca registrada do carro no Brasil e tem um grande nível de aprovação do público, sendo uma das identidades do EcoSport. Outra alteração foi na antena, que agora foi deslocada para a parte traseira, e não mais na parte frontal, como sempre foi. Visto pela lateral, o SUV tem o friso cromado e é calçado por rodas de 17" e pneus 205/50 R18. Ao volante Ao sentar no acento do motorista, você se sente abraçado pelo banco, que é de extremo conforto e mantém a postura bem ereta, o sistema de partida é por botão com chave presencial. Sem dúvida alguma, a grande expectativa ao dirigir o novo EcoSport é sentir a transmissão automática que substituiu o problemático câmbio automatizado de dupla embreagem Powershift , que até tem apelidos bem maldosos. O câmbio foi um dos grandes responsáveis pela queda nas vendas do SUV, já que apresentou diversos problemas e limitações, como trepidações, ruídos e superaquecimento no sistema, desencadeando troca lenta de marchas e substituição prematura do kit de embreagem. Reforçando o que já foi dito, a versão Titatium possui o mesmo motor 2.0 do Focus, entregando 170 cv de potência (gasolina) e 176 cv de potência (etanol), e 20,6 kgfm de torque (gasolina) e 22,5 kgfm de torque (etanol). Câmbio automático tornou a troca de marchas mais suave Divulgação/Ford A diferença do novo câmbio para o Powershift  é berrante, com trocas de marcha mais leves, ainda dando alguns trancos leves, mas muito mais suave e agradável. As borboletas também são bem eficientes nas trocas de marchas no volante, respondendo de forma mais ligeira e diminuindo ainda mais os trancos, inclusive nas reduções. A estabilidade também teve uma evolução considerável, principalmente quando entra nas curvas em uma velocidade maior. Este foi outro ponto que a Ford focou e conseguiu obter êxito. Com tração traseira, o SUV teve o eixo traseiro fortalecido em 15% e houve um aumento de 5% na rigidez torcional da carroceria, dando mais segurança na hora de pegar uma estrada, por exemplo, onde da para sentir bastante firmeza e pouca vibração no volante, diminuindo os impactos, também muito por conta das roda maiores e mais largas. Um ponto que foi muito ressaltado pela fabricante,é que o carro possui uma acústica sem igual na categoria, que quando todas as janelas estão fechadas os barulhos vindos de fora e do motor são quase nulos, mas parece que neste ponto eles se equivocaram um pouco. O som não é tão isolado ao ponto de ser lembrado como um item positivo para carro e ser tratado como um diferencial na hora na compra, a acústica do Honda HR-V, por exemplo, é bem mais privada, dando uma sensação maior de estar dentro de uma bolha em meio aos barulhos externos da cidade, principalmente. Estabilidade é um dos pontos mais positivos do SUV Divulgação/Ford A grande frontal recebeu controle ativo, que segmenta melhor a entrada de ar no compartimento do motor, carregando uma série de benefícios para o carro, de acordo com a Ford. A intenção é ter um motor mais inteligente, podemos definir assim, já que havendo maior controle na entrada de ar, o combustível é economizado e a aerodinâmica também sofre uma pequena melhoria, pois o fluxo é feito de uma forma mais pensada. A evolução foi muito grande do antigo para o facelifit que mais pareceu uma nova geração. Apesar da melhoria na transmissão alguns pontos ainda não foram totalmente corrigidos, como os pequenos trancos que ainda incomodam um pouco na troca de marchas mais baixas, o que é deixado de lado se utilizado os paddle shift. O motor também grita bastante até chegar na 2 ª marcha, trabalhando com giro que chega a mais de 4500 rpm. Uma questão que não mudou em nada é em relação ao espaço do porta-malas, que continua com os mesmo 356 litros, contra 437 do Honda HR-V, 431 do Hyundai Creta e 306 do Chevrolet Tracker. No conjunto da obra do novo Ford EcoSport foi muito positivo, com bastante melhorias mecânicas e de conforto. Por dentro, o utilitário esportivo é irreconhecível, mais agradável e mais conectado que seu antecessor, por fora, ganhou requintes de robustez, ao volante ganhou melhorias na dirigibilidade e conseguiu quebrar a maldição do câmbio Powershift, além do imponente motor do Ford Focus, que caiu como uma luva na versão topo de linha do xodó da Ford. FICHA TÉCNICAFord EcoSport Titanium 2.0 2018 Motor: 2.0L Duratec Direct Flex, quatro cilindros Potência: 170 cv (G) e  176 cv (E) a 6500 rpmTorque: 20,6 kgfm (G) e 22,5 kgfm (E)Câmbio: Automático, seis marchasRotação máxima: 6850 rpmDireção: Assistida elétrica; tração traseiraFreios: ABS com EBDFreio de estacionamento: ElétricoPneus e rodas: 17" e 205/50 R18Dimensões: 4,26 m (comprimento com estepe), 2,5 m (largura), 1,70 m (altura), 2,52 m (entre-eixos)Peso: 1.750 kgTanque de combustível: 52 litrosPorta-malas: 356 litrosAceleração 0-100 km/h: Não reveladoVelocidade máxima: 220 km/h (velocímetro) Garantia: Não relevadoPrincipais equipamentos: ar-condicionado automático e digital com sete opções de velocidade, função Max A/C que ajuda no resfriamento do carro em dias de calor,  sistema de monitoramento de pressão dos pneus, aviso de portas abertas, aviso dos faróis acesos, banco traseiro rebatível e bipartido, uma série de porta objetos — totalizando 20 —, console central com descansa braço, 5 alto-falantes da Sony, console de teto com porta óculos, vidros elétricos, desembaçador do vidro traseiro, porta luvas climatizado e iluminação no porta-malas  

Fonte: Com Agências http://noticias.r7.com/carros/aceleramos-o-novo-ford-ecosport-titanium-20-automatico-25062017

 


 Leitores On Line