Trocou de carro? Saiba como fazer o seguro

O Dia

– Confira as dicas para renovar contrato com a seguradora após fazer a troca do seu veículo e evitar gastos desnecessários –

Rio – Trocar de carro por um modelo mais novo é bom para qualquer motorista. Só que depois da alegria, chega a hora de pensar como ficam as despesas com o seguro. A dúvida de muitos consumidores pode ser resolvida de uma forma bem mais simples do que as pessoas imaginam.

O diretor geral de Automóvel e Massificados do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre, Jabis Alexandre, esclarece que o processo costuma ser objetivo. “Quando o cliente já possui um seguro, basta entrar em contato com o seu corretor de seguros ou gerente do banco e solicitar a alteração. Esses profissionais enviarão as alterações necessárias à seguradora”, explica.

Assim aconteceu com o policial militar Ivan Nunes, 35 anos, que manteve o seguro vigente na troca do carro sem aborrecimentos. “Eu tive que pagar apenas um endosso e fazer a vistoria no novo carro para poder atualizar a cobertura. O procedimento foi coordenado pelo meu corretor sem dificuldade alguma”, contou.

Caso semelhante ocorre quando o segurado precisa incluir coberturas ou serviços adicionais em sua apólice e até cancelar o seguro. Nesse último caso, contudo, o consumidor precisará elaborar carta de próprio punho para solicitar o cancelamento, informando dados pessoais (nome e RG) e do veículo (placa, ano e modelo). O documento será entregue ao corretor ou gerente do banco, que repassará as informações à companhia.

Jabis Alexandre ainda alerta que, ao solicitar a troca do veículo segurado, o cliente precisa se certificar que todos os itens instalados no carro, como som e DVD, por exemplo, também estejam inclusos no novo contrato. “Acessórios como kit gás e blindagem, geralmente, não estão inclusos nas apólices de seguro. Por isso, é importante que o consumidor solicite a cobertura adicional para esses itens no momento da atualização ou na renovação de sua apólice”, conclui o executivo.

EVITANDO GASTOS

O seguro de carro é algo bem peculiar, cujo preço varia de acordo com a demanda e informações prestadas para cálculo. Seja na hora da contratação ou renovação do serviço, o especialista cita alguns pontos que devem ser observados pelo consumidor na hora de fechar o produto.

O diretor de Automóvel e Massificados do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre aponta, em primeiro lugar, que o consumidor avalie o período que pretende permanecer com o carro. Se a ideia for vender após alguns meses, opte por uma apólice semestral. Porém, se o objetivo for ficar com o automóvel por mais tempo, o recomendável é escolher um contrato plurianual, que poderá garantir desconto de até 30%, se comparado ao anual.

Jabis Alexandre também reforça a importância de escolher coberturas adicionais. É que serviços avulsos podem sair caro. O consumidor precisa analisar quais assistências adicionais são indispensáveis. Para quem viaja constantemente, a opção de guincho é aconselhável.Atenção, também, aos serviços gratuitos. A maioria das seguradoras disponibiliza pacote de assistências, como serviços de chaveiro, encanador e eletricista já inclusos no contrato e que podem ser acionados sem custos extras, caso o segurado tenha uma emergência em sua residência, por exemplo.

Por fim, o executivo lembra dos Clube de Vantagens. “Esses concedem aos segurados descontos em redes de estacionamentos, centros automotivos, locadoras de veículos, lojas online, entre outros”, explica.

Algo a mais

Um levantamento da Bidu Corretora mostra o preço médio do seguro dos dez modelos mais emplacados no mês. Para a cotação, foram utilizados dois perfis fictícios: o de um homem de 35 anos, casado e sem filhos e o de um homem de 20 anos, solteiro e sem filhos. As cotações foram realizadas em seis capitais brasileiras, incluindo o Rio. O valor representado é a média de valores obtida por meio das cotações em três seguradoras diferentes.

Os dados de emplacamentos são da Fenabrave. De acordo com a entidade, 159,9 mil carros foram emplacados em setembro. O Chevrolet Onix é o líder, com 12.4592 unidades emplacadas no mês, seguido pelo Hyundai HB20, com 10.020 registros, e o Ford Ka em terceiro com 6.611.

veja a tabela:

Homem, 35 anos, casado e sem filhos

Chevrolet Onix – R$ 1.720,08

Hyundai HB20 – R$ 2.002,25

Ford Ka – R$ 1.716,64

Chevrolet Prisma – R$ 1.625,59

Renault Sandero – R$ 1.448,18

Toyota Corolla – R$ 3.034,35

Jeep Renegade – R$ 3.2121,58

Homem, 25 anos, solteiro e sem filhos

Chevrolet Onix – R$ 3.549,19

Hyundai HB20 – R$ 4.759,86

Ford Ka – R$ 3.605,24

Chevrolet Prisma – R$ 3.721,21

Renault Sandero – R$ 3.293,23

Toyota Corolla – R$ 9.146,90

Jeep Renegade – R$ 6.612,17


Outros destaques: