Trade pede volta do horário de verão

Ausente desde 2011, a Bahia deveria voltar a adotar o horário de verão, segundo representantes  do trade turístico baiano. . Nos últimos 13 anos, o estado só teve o relógio adiantado em uma hora no ano de 2011.  Na última quarta-feira (21), o governador Rui Costa sinalizou que deve manter o mesmo posicionamento do ano passado, com base em pesquisa que aponta que a maioria dos baianos é contra adiantar o relógio em uma hora. 

O assunto voltou a repercutir na Bahia depois que o presidente da Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação do Estado da Bahia (FeVHA), Silvio Pessoa, divulgou carta aberta solicitando que o atual governo adote o horário especial este ano. Em entrevista à Tribuna da Bahia, Pessoa condenou afirmou que “são incalculáveis os prejuízos” com a falta de alinhamento com a hora do Brasil. O horário de verão começa a zero hora do dia 16 de outubro, prosseguindo até 19 de fevereiro de 2017.

“O governador Jaques Wagner retirou o horário de verão e alegou que tinha uma pesquisa que muitos baianos eram contra”, relatou o dirigente. “Para nós, do trade turístico, a inclusão é extremamente importante, pois a gente fica alinhado com o resto do país. E é um diferencial para o Nordeste, que tem mais claridade para os turistas aproveitarem mais nosso Estado”, destacou.

O secretário estadual de Turismo, José Alves, disse que vai conversar com o governador Rui Costa antes de uma decisão final ser tomada. “Ainda não tive condições de dar uma definição final sobre o assunto”, afirmou, frisando que a pasta acompanha ações como as obras do Centro de Convenções e  Aeroporto. “Mas, posso prometer que até segunda-feira [26] a gente dê alguma definição sobre isso”, garantiu.

Para o  vice-presidente do Salvador Destination e diretor da  organizadora de eventos GT5 Brasil, Roberto Duran, a inclusão do horário de verão na Bahia só trará benefícios. “Todo setor hoteleiro, comércio e a indústria são favoráveis ao alinhamento como um todo. Que a gente possa não só conseguir economizar energia elétrica, como também proporcionar mais horas de lazer para nossa população e para os turistas. Estamos amanhecendo antes das 5h, então não atrapalha absolutamente nada. O secretário de Segurança Pública também já disse que não há o menor risco para a população. Só há benefícios”, pontuou.

Baianos divididos
Enquanto não é tomada a decisão sobre a adesão da Bahia no horário de Brasília durante o verão, baianos dividem opiniões sobre o tema. “Não temos grandes picos de consumo energético diário, então não faz sentido termos horário de verão”, defendeu a produtora Mariana Buente, 34.

Para a jovem Evellynn Rocha, 26, deixar o estado de fora é não trará efeitos positivos. “Precisamos nos adequar de qualquer forma, para acompanhar programas de TV e outros serviços”, afirmou. “Se tem alguma prova, como o Enem, quem mora em Salvador  tem que começar mais cedo, porque não há horário de verão. Viajo muito e nesse período sempre fico perdido entre um estado e outro. Acho que somos desfavorecidos com isso”, opinou o comerciante Sandro Pinto, 43.

“Acredito que o horário de verão é uma medida voltada apenas para economia, fazer o trabalhador acordar mais cedo e começar a produzir. Não que acordar cedo seja ruim, mas a produtividade acaba caindo em alguns setores”, comentou a publicitária Yalle Lobo, 21.


Outros destaques: