Sucesso nas Finanças: Economia de pais para filhos

O Dia

– Jovens são atingidos mais fortemente por sociedade do consumo –

Rio – Educação financeira é a base de uma sociedade mais consciente em relação ao consumismo exacerbado, que acaba por impulsionar um cenário de inadimplência e restrições econômicas.

O consumismo está presente na vida de todos, mas jovens e crianças, que ainda não têm noção do valor do dinheiro, são atingidos mais fortemente por essa sociedade do consumo.

Imagine o que é para o adolescente viver em um mundo onde a marca é o que define o cidadão. As campanhas midiáticas veem nos jovens os consumidores com mais alto potencial, o que dificulta a missão dos pais de ensinar os filhos a terem disciplina com o dinheiro.

Há um Programa Educação de Financeira nas Escolas, projeto do governo federal para desenvolver a cultura do consumo consciente nas escolas de Ensino Médio e Fundamental. 

Pergunta e resposta

“Como faço para o meu filho, que tem apenas sete anos, entenda que não posso comprar tudo que ele me pede? Qual a idade certa para ensinar sobre economia? ” Luiza Fontes, Vicente de Carvalho 

Ensinar os filhos a ter controle dos gastos, fazer planejamento financeiro, lidar com o dilema de querer algo e não ter dinheiro – nada disso é fácil. Portanto, quanto mais cedo começar, melhor.

Entregar aos filhos uma quantia em dinheiro mensalmente ou semanalmente para que eles possam administrá-lo pode ser o alicerce para que, quando adultos, saibam planejar e controlar seus recursos financeiros. Os pais devem estimular seus filhos, ainda crianças, a anotar seus gastos e economizar a mesada ou semanada que recebem.

Os filhos devem ser motivados a economizar para comprar com seu próprio dinheiro um brinquedo desejado. Estimule-os a fazer uma poupança, definindo metas. Exemplo: se conseguirem poupar R$ 50 ganham um bônus de mais R$ 50.

É bom ressaltar que o consumo consciente deve estar no dia a dia e nas pequenas coisas da vida da família, como não desperdiçar água, energia, alimentos e outros. Lembre-se da frase “os pais são o espelho dos filhos.”

De uma forma geral, crianças até 5 anos devem receber dinheiro dos pais eventualmente. De 5 a 8 anos, semanalmente. De 9 a 11 anos, quinzenalmente. E acima dos 12 anos, mensalmente.

Marta Chaves é gestora nacional do curso de Ciências Contábeis da Estácio


Outros destaques: