Sem vitórias há cinco jogos, Levir tem pouco tempo para dar novo gás ao Tricolor

O Dia

– As vitórias do Fluminense cessaram e as críticas ao trabalho do treinador voltaram com força total –

Rio – O Fluminense tem tropeçado nas próprias pernas e colocado cada vez mais em risco a chance de classificação para a Libertadores, que tinha se tornado muito palpável depois que o G-4 do Brasileiro foi transformado em G-6. Com atuações irregulares, defesa insegura e ataque improdutivo, Levir Culpi precisa reinventar o time antes que seja tarde.

Desde que chegou às Laranjeiras, o treinador busca uma espinha dorsal para dar base à equipe. Por causa disso, evita fazer muitas mudanças de uma partida para outra. A estratégia, entretanto, passou a não dar mais certo e o time tricolor tornou-se previsível.

As vitórias cessaram e as críticas ao trabalho do comandante voltaram com força total, principalmente depois do empate (2 a 2) com o Vitória, sexta-feira, no Maracanã. Assim que o árbitro apitou o fim da partida, o time foi vaiado e o técnico hostilizado pelos torcedores no estádio.

Com a iminente troca de diretoria — a eleição presidencial acontece em novembro — e contrato até o fim do ano, Levir sabe que precisa da vaga na Libertadores se quiser permanecer nas Laranjeiras na próxima temporada.

Após o empate com o rubro-negro baiano, o Fluminense precisa ter um aproveitamento de 80% nos últimos cinco jogos para conseguir terminar o Brasileirão no G-6. A conta é simples: vencer quatro partidas. A prática é muito mais difícil, principalmente pelo nível de atuação que o time tem apresentado.


Outros destaques: