São Paulo chega com medo de dar vexame

O torcedor são-paulino acordou nesta sexta-feira de cabeça inchada.

 Se pudesse, rasgaria as folhas dos meses restantes no calendário e avançaria o tempo para a noite do Réveillon, quando as esperanças se renovam. Claro, faz mais sentido pensar em 2017. Depois de ver a última chance real de título no ano enterrada com a eliminação nas oitavas de final da Copa do Brasil, diante do Juventude, a reta final de 2016 se torna um fardo pesado. 

Que pode virar mais incômodo de acordo com o desempenho no Brasileiro, no qual a equipe é a 12ª colocada, com 34 pontos: seis acima da zona da degola, e 11 abaixo do G-4 faltando 12 partidas. Então, terminar a temporada sem correr riscos de nova aproximação perigosa ao Z-4 é a obrigação do atual elenco, limitado e desacreditado pelo torcedor. Afinal, o são-paulino, machucado por mais um vexame, como o protagonizado diante do Juventude, atualmente na Série C, só quer um fim de ano sem novas tristezas.

Na briga para terminar o ano de forma digna, o São Paulo terá sequência complicada pela frente no Brasileirão: Vitória (Barradão), Flamengo (Morumbi), Sport (Ilha do Retiro), Santos (Pacaembu) e Fluminense (Édson Passos). Para o duelo deste domingo, às 16h, no Barradão, em Salvador, existe a expectativa de Jean Carlos ser relacionado. Anunciado no dia 8 de setembro, o meia chegou com um desconforto na coxa e evoluiu nos treinos dos últimos dias.

Após a partida contra o Vitória no Barradão, o São Paulo enfrentará o Flamengo, que briga pelo título do Campeonato com o Palmeiras, no Murumbi. Por Marcelo Hazam, Globoesporte.com, São Paulo.