Rio conclui plantio de mudas na Floresta dos Atletas

A prefeitura do Rio de Janeiro concluiu hoje (10) o plantio da Floresta dos Atletas, no Parque Radical de Deodoro, na zona oeste da cidade. O espaço recebe as 13.725 mudas de 207 espécies da Mata Atlântica, promessa feita durante a Olimpíada Rio 2016. O evento marca a revitalização da área degradada nas últimas décadas.

O trabalho teve início no dia 25 de setembro e contou com a participação do ginasta olímpico Diego Hypólito, que ganhou medalha de prata nas competições de solo de ginástica artística na Olimpíada Rio 2016.

O atleta também participou nesta terça-feira da conclusão do plantio das mudas. “É importante relembrar os momentos olímpicos e a questão do meio ambiente. Pegamos nos Jogos Olímpicos as sementes e, agora, é plantar e imaginar que daqui a alguns isso vai ser uma floresta. Isso tudo pode ser muito benéfico para nossa sociedade”, disse.

 Atletas olímpicos, representantes de vários clubes, alunos da rede municipal de ensino, de projetos sociais e estudantes de universidades, além da comunidade do entorno; participam do plantio da Floresta dos Atletas, no Parque Radical de

Atletas olímpicos, representantes de clubes, alunos da rede municipal de ensino, de projetos sociais e estudantes de universidades, e comunidade participaram do plantio  – Tânia Rêgo/Agência Brasil

Na cerimônia de abertura da Olimpíada Rio 2016, atletas depositaram, em pequenos tubos, sementes de 207 espécies da Mata Atlântica, representando o número de países que participaram da competição. Foi a primeira Olimpíada a ter um compromisso ambiental.

A subsecretária municipal do Legado Olímpico, Patrícia Amorim, lembrou que o fim do plantio conclui o compromisso feito na cerimônia durante a abertura dos Jogos Rio 2016: o de criar a Floresta dos Atletas. “Agora é esperar que elas cresçam e deem frutos. O esporte dá mais um pontapé nesse caminho para o futuro, que é plantar árvores, porque derrubar árvores é muito simples e fácil”.

Para investir os R$ 3 milhões necessários para o plantio das mudas na área de cinco hectares, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente utilizou “compensações ambientais”. Trata-se de mecanismo legal de contrapartida para que empresas, cujas atividades causem impacto ao meio ambiente, compensem os danos plantando árvores em áreas determinadas pela secretaria.