Quinto no Rio, Fernando Reis já pensa no pódio em 2020

O Dia

– Brasileiro conseguiu resultado histórico no levantamento de peso –

Rio – Ele já escreveu seu nome na história, mas não quer parar por aí. Aos 26 anos, o paulistano Fernando Reis alcançou a maior colocação já obtida por um brasileiro no levantamento de peso em Olimpíadas — 5º lugar na categoria +105kg. Ciente de que poderia ter alcançado um resultado ainda melhor, o halterofilista já volta suas atenções para o próximo ciclo olímpico, de olho em uma medalha em Tóquio-2020.

“Fiquei muito satisfeito com o resultado no Rio, mas como todo atleta sempre almejo um pouco mais. Tenho consciência de que poderia ter ido melhor e conquistado a medalha. Se não veio agora, não tenho dúvida de que com mais quatro anos de trabalho ela virá”, afirmou Fernando.

Duas lesões atrapalharam a preparação no começo deste ano, entre elas uma ruptura do músculo peitoral. Sabendo que não estava no melhor de sua forma física, Fernando projeta seus planos para Tóquio, que não deve contar com dois dos três medalhistas nos Jogos do Rio.

“Dentre os medalhistas, o campeão (Lasha Talakhadze, da Geórgia) é um cara muito jovem e que deve chegar a Tóquio melhor ainda. Mas os outros dois (o armênio Gor Minasyan e o georgiano Irakli Turmanidze), pela idade, não devem chegar à próxima Olimpíada. Na próxima chegarei com trinta anos, que é considerado o ápice da força para um atleta do levantamento de peso. Vou trabalhar muito”, ressaltou.

Atleta do Time Petrobras, Fernando enaltece o apoio do patrocinador durante sua preparação e ressalta a importância de apoiadores para um ciclo olímpico, independentemente do esporte.

“O apoio é imprescindível porque o atleta não vive só de amor ao esporte. O que fizeram com a gente ao longo deste ciclo foi muito bom. Sabemos da crise que o país passa, mas a gente fica na expectativa para que outras empresas também entrem nessa. Competimos contra profissionais e não há lugar para o amadorismo. Com apoio, temos condições de melhorar os resultados”, destacou o atleta.

O excelente resultado fez com que Fernando passasse a ser reconhecido pelos torcedores brasileiros nas ruas. Algo que o atleta ainda está se acostumando.

“Antes eu falava que fazia levantamento de peso e já me perguntavam quanto eu pegava no supino. Hoje as pessoas já sabem a diferença de arranque e arremesso. Elas me chamam pelo nome na rua e ainda estou me acostumando. Mas é bom ver o esporte crescer e fazer parte disso tudo”, disse, sem esconder a alegria.

Estagiário Antonio Júnior, sob a supervisão de Flávio Almeida


Outros destaques: