Pneus em bom estado para reduzir os riscos

O Dia

– Confira cinco orientações de especialistas para ter maior segurança e evitar acidentes –

Rio – Estamos na época de fortes chuvas. As pistas molhadas por mais tempo são um sinal de alerta para os motoristas. Nessa condição adversa, fica nítida a necessidade de pneus em bom estado, para um perfeito casamento entre as propriedades do composto de borracha e do desenho da banda de rodagem. Só assim o componente consegue permanecer em contato com o solo sem perder a aderência.

“Dirigir na chuva pode ser perigoso e demanda alguns cuidados especiais com os pneus. Além de ter a sua aderência posta em xeque, eles também se desgastam mais rapidamente sob essa condição. Por isso, a sua manutenção deve estar em dia”, alerta Rafael Astolfi, gerente de Assistência Técnica da Continental Pneus.

PARA EVITAR ACIDENTES

A atenção para dirigir na chuva deve ser redobrada. Veja, abaixo, cinco orientações que proporcionam maior segurança e pode evitar acidentes.

Em primeiro lugar, para assegurar que a área de contato entre o pneu e a pista seja a ideal, com o máximo possível de água sendo drenada, é essencial não deixar de checar a pressão do conjunto, além da revisão periódica de alinhamento e balanceamento das rodas.

Veja a profundidade dos sulcos nos pneus. A Continental recomenda uma profundidade mínima de 3 mm para que o pneu possa drenar a água adequadamente. Os sulcos são essenciais para esse processo. Abaixo dessa medida aumenta bastante o risco de perda de contato do pneu com o solo.

Ande em velocidade reduzida. A água da chuva, quando misturada à sujeira e ao óleo que se acumulam nas ruas e estradas, cria o cenário ideal para derrapagens. Reduzir a velocidade permite que uma área maior da banda de rodagem entre em contato com a pista, aumentando assim a aderência.

Mantenha distância do veículo à frente. Em uma pista molhada o motorista necessita de três vezes mais espaço para frear.

Por fim, atenção ao fenômeno da aquaplanagem. Ele acontece quando há muita água na pista e o veículo pode perder o contato com o asfalto e deslizar. “Ao notar que o veículo começou a perder a aderência com o solo, em nenhuma circunstância freie ou faça qualquer movimento brusco com o volante. Aguarde que a perda gradativa de velocidade faça com que o veículo volte a ter contato com a pista e o controle seja retomado”, explica o especialista.


Outros destaques: