ONU defende reintegração de crianças ligadas a grupo armado na Colômbia

A representante especial da ONU sobre Crianças e Conflito Armado apoia a decisão do governo colombiano e das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia-Exército do Povo, Farc-EP, de reintegrar as crianças associadas ao grupo armado.

Leila Zerrougui lembra que os menores e as comunidades precisam receber todo o apoio, principalmente após "terem sofrido tanto com o conflito".

Proteção

No início deste mês, os colombianos rejeitaram o acordo de paz num plebiscito. Mas apesar do resultado, tanto o governo como as Farc-EP concordaram em continuar os esforços para manter o acordo para colocar fim a mais cinco décadas de conflito civil.

A representante da ONU destaca a importância de proteger as crianças separando das Farc-EP os menores de 18 anos que têm ligação com o grupo e garantir que sejam reintegrados à sociedade.

Famílias

Zerrougui apresentou um relatório do secretário-geral sobre a Colômbia, mostrando que as violações contra as crianças diminuíram no país, mas ao mesmo tempo, continua a preocupação com as lacunas entre compromissos políticos e implementação das ações.

A representante pede garantia de que as crianças voltem às famílias, de forma protegida, e recebam cuidados necessários, como apoio econômico e psicológico.

As Nações Unidas também apoiam as conversações de paz entre o governo da Colômbia e o Exército de Libertação Nacional, ELN.

As negociações devem ocorrer em Quito, no Equador.


Outros destaques: