Novo bar tem 32 torneiras de chope e tábua com cinco versões de bacon

We Are Bastards, no Água Verde, tem mesas comunitárias e cardápio focado em pratos e petiscos feitos com carne de porco
We Are Bastards tem mesas comunitárias e lugar para 300 pessoas (125 sentadas). Foto: Lening Abdala/Divulgação.

We Are Bastards tem mesas comunitárias e lugar para 300 pessoas (125 sentadas). Foto: Lening Abdala/Divulgação.

O We Are Bastards, bar que abriu em Curitiba há pouco mais de um mês, é um lugar para quem curte cerveja e ambiente descolado e moderninho. Com mesas longas, feitas para serem compartilhadas (e para fazer amigos, claro), a casa foi toda reformada – já que lá antes funcionava o bar de MPB Matriz e Filial – e hoje oferece cerca de 100 rótulos de cerveja e em 32 torneiras de chope.

Destas torneiras, 14 são dedicadas apenas aos rótulos da Bastards Brewery, cervejaria que fica em Pinhais (e cujos donos são sócios do bar) – deste total, oito são fixas, enquanto as outras seis são rotativas e têm sempre cervejas experimentais produzidas por eles. As demais torneiras também são rotativas, mas com opções de outras cervejarias, como Dogma, Swamp, Founders, Cervejaria Blumenau e outras (pela página deles no Facebook, é possível conferir quais estão disponíveis todos os dias). Os valores começam a partir de R$ 10 o copo.

Foto: André Nisgoski/Divulgação.

Porco na Lata: costelinha de porco confitado. Foto: André Nisgoski/Divulgação.

“A intenção é sempre ajudar a fomentar esse mercado cervejeiro, então de vez em quando faremos eventos temáticos, chamados Tap Takeover, quando vamos oferecer vários rótulos de um mesmo lugar no mesmo dia – o primeiro foi com cervejarias catarinenses”, explica Kamila Fernandes, coordenadora de marketing da casa. Além disso, há também cerca de cem rótulos de cerveja em garrafa divididos em duas geladeiras – uma delas só com opções paranaenses.

Já para quem prefere os drinks, o We Are Bastards tem também coquetéis clássicos, além de alguns criados com cerveja e até uma carta de gin tônicas. Um dos mais pedidos tem sido o Bastard Buck, que leva vodka Absolut, limão, maracujá, ginger ale feita na casa, espuma de gengibre e malte (R$ 24).

Cardápio

Hop Sausage: Linguiça de rolo na chapa. Foto: André Nisgoski/Divulgação.

Hop Sausage: Linguiça de rolo na chapa. Foto: André Nisgoski/Divulgação.

Para acompanhar, o cardápio do bar tem opções de pratos individuais, para compartilhar e também petiscos – tudo com foco na carne de porco. Entre os destaques, estão a Hop Sausage (linguiça de rolo na chapa – R$ 26) e o Porco na lata (costelinha de porco confitada, R$ 29). E os fãs de bacon também não vão se decepcionar – há opções como o X-Treme Bacon, que é uma porção de bacon, além do inusitado Cinco Tons de Bacon (uma tábua de degustação de bacon em cinco versões: defumado com macieira, xarope de bordo com pimenta, sriracha, café e chocolate).

5 Tons de Bacon: a tábua vem com duas unidades de cada uma das versões. Foto: André Rodrigues.

5 Tons de Bacon: a tábua vem com duas unidades de cada uma das versões. Foto: André Rodrigues.

Enquanto a porção de bacon é composta por pedaços menores do corte, fritos em imersão (R$ 14), o Cinco Tons de Bacon (R$ 19) vem com fatias dispostas em uma tábua, sendo duas unidades de cada uma das versões. Todas elas são feitas na grelha e servidas com seus complementos – apenas a defumada em madeira de macieira vem pura.

Para quem não come carne, a opção vegetariana é a salada Quase Saudável, que leva folhas tomates, castanhas carameladas, queijo e palmito frito (R$ 28). O cardápio é assinado pelo chef Allan Cunha, mas a execução fica a cargo da chef Evanira Tuchinski.

Uma das sobremesas da casa: floresta negra feita com cerveja stout. Foto: André Nisgoski/divulgação.

Uma das sobremesas da casa: floresta negra feita com cerveja stout. Foto: André Nisgoski/divulgação.

Além disso, a casa tem também sobremesas, como a Mark’s Forest (floresta negra descontruída, servida com bolo de cerveja stout, R$ 24) e um blend de café próprio desenvolvido pela Moka Clube – a torra dele leva dois tipos de malte feitos pela Bastards, o que confere notas cítricas e carameladas à bebida. Dá para tomar lá mesmo (R$ 10) ou levar a embalagem de 250 g do grão moído para casa, tem para comprar na loja que tem dentro do próprio bar (R$ 29). Por lá, também tem outros produtos, como camisetas, growlers, canelas e um kit de serviço de café. Composto por coador de madeira e suporte em metal (R$ 270), o kit é parceria com os marceneiros Daniel Ferrarezi e Diego Sebastian, da Woodskull.

oi

Kit de serviço de café desenvolvido em parceria com a Woodskull. Foto: Divulgação.

Sociedade

O We Are Bastards é uma empreitada do empresário Alessandro Reis, que também é dono do Crossroads, em parceria com Francisco Seegmueller, Richard Buschmann e Humberto Gonçalves. Os três são sócios da Bastards Brewery. A ideia de uma sociedade entre os quatro já vinha desde 2015, quando a Bastards foi a responsável pela elaboração de uma cerveja exclusiva para a comemoração dos 18 anos do Crossroads – aos poucos, foram afinando o projeto até nasceu o novo bar.

Serviço

We Are Bastards, Av. Iguaçu, 2.300, Água Verde – (41) 3343-0113. Abre de quarta à sexta-feira das 18h à 1h e aos sábados das 16h à 1h.

por Marina Fabri, especial para a Gazeta do Povo

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com