Nilo Sergio Felix: Sem educação e capacitação não há futuro

O Dia

– Se depender do empenho e da motivação do carioca, teremos o estado lotado todos os 365 dias do ano –

Nelson Mandela disse uma vez que “Educação é a arma mais poderosa que se pode usar para mudar o mundo”. De fato! Na prática, para avançar, todos os setores da economia dependem de mão de obra especializada e gestão eficiente, o que raramente se conquista sem boa formação e qualidade de ensino em sala de aula.

Recente pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas sobre a avaliação dos serviços básicos prestados aos cariocas apontou uma preocupação antiga de nossa sociedade com o ensino aplicado pelas instituições públicas, incluindo as universidades. A avaliação da população sobre o tema foi de 3,96, numa escala de zero a dez. A boa notícia é que tal visão não se traduz no nível de preparo dos trabalhadores de setores como o turismo.

A partir da exposição positiva do Rio de Janeiro junto aos mercados emissores de turistas através da realização dos Jogos Olímpicos, concluiu-se que 87,7% dos estrangeiros pretendem retornar ao Brasil, e 94,2% dos visitantes brasileiros desejam voltar ao Rio. Com otimismo coletivo e a manutenção do trabalho sério realizado pelos profissionais do segmento, a tendência é repetirmos o modelo de Barcelona, que após a Olimpíada de 1992 saiu de patamar de 1,8 milhões de visitantes naquele ano para a marca de 8 milhões de turistas em 2015.

Tais resultados serão percebidos em nosso estado em escalas de curto, médio e longo prazo. Porém, para atingirmos tal prognóstico, é fundamental que tenhamos mão de obra preparada. Para ampliarmos o interesse da população pela capacitação profissional, é necessário que se confie nas instituições de ensino. Tal confiança só se consolida a partir do desempenho e do nível de eficiência oferecidos, se refletindo automaticamente em melhores resultados junto ao mercado de trabalho.

Se depender do empenho e da motivação do carioca, teremos o estado lotado todos os 365 dias do ano. A divulgação da percepção da população sobre o que acontece nas cidades é importante para avaliarmos e acertamos possíveis deficiências. O receio e desconfiança no período pré-olímpico foram substituídos pelo resultado coletado pelo Datafolha, onde a maioria dos cariocas afirmou que a realização da Rio2016 trouxe benefícios à cidade.

Nilo Sergio Felix é secretário estadual de Turismo


Outros destaques: