Neto promete programa Salvador Emprego

A poucos dias das eleições, o prefeito ACM Neto (DEM) sempre hesita em atacar os adversários, mas não economiza palavras para defender a própria atuação à frente da capital baiana. Em contato com à Tribuna, o prefeito disse que nunca ouviu críticas por parte dos aliados políticos, e que o alto índice de desemprego de Salvador foi ocasionado pela crise econômica nacional.

“O PT que explodiu a economia do Brasil e o estelionato eleitoral cometido por Dilma que trouxe tudo isso. O recorde de desemprego não é só em Salvador. É na Bahia, que cresceu na mesma proporção, e por tanto é preciso indagar das autoridades que estão, não como eu há três anos, mas que governam a Bahia há dez anos”, argumentou, acrescentando que a prefeitura tem atuado no sentido de atenuar a situação. “Eu queria ver Salvador enfrentar essa crise econômica com a gestão do passado. Com a desordem administrativa, caos financeiro, desequilíbrio das contas públicas. Aí eu queria ver”.

De acordo com o democrata, a crise nacional levou quase 40% dos prefeitos a desistir da reeleição. “Estão desesperados, tomados por crise. Prefeitos atrasando folha de pagamento, fornecedores, sem perspectiva de pagar o 13º. Isso não existe em Salvador”, assegurou.

Nós, com as obras da prefeitura e com a ampliação de serviços públicos, especialmente na educação e saúde, criamos 50 mil empregos. Fruto do trabalho direto da prefeitura. Fizemos um cálculo somando cada obra, quantos empregos cada obra gerou, mais a ampliação de serviços públicos nas quais se destacam 3,6 mil novas vagas na saúde e 3,5 mil novas vagas na educação. Se não fosse isso estaria muito pior”, pontuou, informando que está estruturando um programa intitulado Salvador Emprego.

“[…] eu poderia ter lançado agora, mas não queria ser acusado de objetivos eleitoreiros, para não fazer um programa muito importante perder força por conta do debate político”, justificou.

“Se Deus quiser a gente ganhando a eleição agora em outubro, logo em seguida eu vou apresentar a Salvador esse programa Salvador Emprego, que tem como base o novo PDDU e a nova Louos com objetivo de aproximar o emprego da moradia e fomentar a criação de empregos nas áreas mais pobres de Salvador por meios de incentivos fiscais que vão ser concedidos progressivamente. Quanto mais emprego um novo empreendimento gere, maior será o incentivo fiscal que ele vai ter”, explicou o alcaide.

Prefeito busca reduzir impostos 

Quando questionado sobre a questão do IPTU, o demista insistiu que a sua gestão tem ido na contramão da conjuntura econômica nacional, lutando pela redução de impostos na cidade. 

“A discussão agora em Brasília é aumentar imposto, não reduzir. No nosso caso aqui, estou preparando um pacote que vai sinalizar a redução de impostos”, anunciou, otimista, e concluiu dizendo que a oposição, sobretudo o PT, pena com um amargo desprestígio nessas eleições: “Se você for avaliar, o PT que sempre foi um dos maiores partidos da Bahia, não foi capaz, sequer de lançar um candidato em Salvador.

O preço já está pago. Agora, não me cabe aqui fazer conjecturas a respeito do que ainda pode acontecer, no futuro do partido, não chegaria aqui para dizer que ninguém do PT presta, não”.

ACM Neto também comentou o processo de requalificação da orla. “Nós discutimos o modelo que está em fase de aperfeiçoamento, ainda não está perfeito, que é o modelo dos quiosques. Alguns já estão funcionando, como no Rio Vermelho e nas Orlas de Itapuã e Piatã, outros sendo implantados, como na orla do Subúrbio, da Ribeira”.


Outros destaques: