Morte de Boechat completa 1 ano, e internautas fazem homenagens

O jornalista Ricardo Boechat (Divulgação)

Mariana Agunzi

No dia 11 de fevereiro de 2019, a queda de um helicóptero em São Paulo vitimou um dos jornalistas mais populares do país: Ricardo Boechat. O piloto da aeronave, Ronaldo Quattrucci, também morreu no acidente.

O helicóptero caiu sobre um caminhão em um trecho do Rodoanel que dá acesso à rodovia Anhanguera, na zona oeste da capital paulista. O jornalista estava em Campinas palestrando a convite de uma empresa farmacêutica e retornara à capital.

Boechat, que começou sua carreira no carioca Diário de Notícias, nos anos 1970, trabalhava no Grupo Bandeirantes de Comunicação, onde apresentava dois programas diários, e tinha também uma coluna na revista semanal Istoé.

Nesta terça (11), os internautas relembraram a morte do comunicador, alçando seu nome ao tópico mais comentado do Twitter. Na rede social, fizeram homenagens.

Há exato 1 ano, éramos surpreendidos com a morte do grande Ricardo Boechat. Um dos nomes que mais prezavam pela credibilidade, imparcialidade e senso de justiça no jornalismo brasileiro nos deixava de forma tão abrupta. Parece até difícil de acreditar.

Ver imagem no Twitter

Ver imagem no Twitter

E neste 11 de fevereiro completa-se o primeiro ano em que o Brasil perdeu um dos seus grandes nomes na comunicação e eu fiquei órfão de um ídolo e uma inspiração para se chegar ao bom jornalismo, sem medos ou recuos diante de intimidações.
Saudades eternas, Ricardo Boechat!

Ver imagem no Twitter

Saudade do meu Boechat#boechat@bandnewsfmrio @radiobandnewsfm

Ver imagem no Twitter

“Sete horas e trinta minutos, sete horas e trinta minutos. Eu sou Ricardo Eugênio Boechat e você está ligado na @radiobandnewsfm e vamos juntos até nove e qualquer coisa da matina. Então, @eduardobarao vamos lá! Toca o barco”. Um ano sem o Boechat.

Ver imagem no Twitter

Colegas de profissão que noticiaram a tragédia, e outros que se inspiram em Boechat, também postaram suas homenagens.

Um ano que noticiei a queda daquele helicóptero, sem saber que nele estava meu maior professor. Um ano sem a voz corajosa que falava sobre e para as pessoas. O que importa, afinal. Como você faz falta, Boechat. Ainda parece mentira. @BoechatFm

Um ano sem o Boechat. Cara. Passa muito rápido. Lembro que quando estagiava na Band e ele ligava e ficava super nervoso. Normal. Ele ligava e falava: “bom dia, meu filho!” Aí me desmontou. (+)

Ver imagem no Twitter

Há um ano, três dias antes de me formar em Jornalismo, perdemos Ricardo Boechat. Fiz questão de colocá-lo em meu discurso de formatura. Assim como ele disse e o citei, repito que precisamos de coragem pra mudar a realidade. Como você faz falta BoechatVer imagem no Twitter

O ACIDENTE

Segundo testemunhas relataram ao Corpo de Bombeiros, a aeronave Bell Jet Ranger, um modelo de 1975, tentou fazer um pouso de emergência em uma alça de acesso do Rodoanel à rodovia Anhanguera, na altura do quilômetro 7, sentido Castelo Branco, próximo a um pedágio —local das vias com menos fluxo de veículos.

Na descida, no entanto, ela se chocou com um caminhão que tinha acabado de sair do pedágio. A colisão que fez o helicóptero pegar fogo.


Outros destaques: