"Momento é de olhar para o futuro", diz Daniel Almeida sobre eleições

As eleições municipais chegaram ao fim em Salvador no dia 2  de outubro, com a reeleição do prefeito ACM Neto, com quase 74 por cento dos votos, mas entre a oposição o assunto ainda é debatido e os motivos que levaram á derrota de Alice Portugal (PCdoB) questionados. Em conversa com o jornalista Luís Nassif, do GGN, o governador Rui Costa afirmou que um dos pontos fundamentais para o triunfo de Neto foi a demora na definição do candidato pela oposição. Ele disse ainda que sugeriu o nome da vereadora e presidente do PCdoB na Bahia, Olívia Santana, mas a sigla preferiu apostar na deputada federal Alice.

“ACM Neto conseguiu uma grande vitória em Salvador. Tivemos problemas na definição do candidato. Tentei Olivia, do PCdoB, negra, que foi nossa secretária. Mas o PCdoB preferiu Alice Portugal, cujo histórico político foi sempre como deputada estadual lutando em favor dos servidores e não discutindo a cidade”, disse Rui durante o bate-papo.

Em conversa com a Tribuna, o presidente do PCdoB na Bahia, o deputado federal Daniel Almeida, afirmou que tanto a sigla, quanto o governador, agiram da maneira correta durante o pleito e que o momento não é de lamentações, mas é de olhar para o futuro.

“Eu acho que a eleição passada já passou, o balanço que a gente faz é de que o PCdoB agiu de forma correta na disputa, o governador agiu de forma correta como parceiro, cabe agora fazer a preparação para a próxima eleição. O que passou passou, as lições foram tiradas e vamos cuidas das próximas disputas eleitorais, isso é o que interessa. Prefiro não gastar energia com esse objetivo”, afirmou ele. Questionado sobre a relação entre o partido e o governo do estado, Daniel afirma que as relações seguem normalmente, mas ressalta que todos os parceiros e líderes vão ser avaliados no processo de fortalecimento até 2018. 

“O PCdoB tem uma discussão sólida. Vamos fazer análise para a próxima disputa eleitoral. O papel de cada parceiro, cada líder, nós vamos tratar no curso desses debates, até o final de 2018. Qualquer opinião agora é prematura. Olhar o passado não vai levar a nenhum horizonte, não vai nos preparar para nenhum desafio. Temos que olhar o futuro, e o futuro é manter as ações que temos na Bahia hoje. O papel de cada líder, cada parceria, vamos ver daqui para a frente.

As palavras de Rui seguem a linha de pensamento do senador Otto Alencar. Logo após o fim da eleição, o presidente do PSD lembrou dos preparativos feitos por Wagner para eleger o próprio Rui e afirmou que, como foi colocada tardiamente na corrida eleitoral, a comunista não conseguiu absorver o prestígio do governador na capital baiana.

As candidaturas de oposição ao prefeito ACM Neto foram colocadas muito tardiamente, não se preparou nenhum candidato em condições de competir, deveria ter feito isso antes, alguém com militância, com carisma, para conseguir debater com o atual prefeito em condições de igualdade, isso não aconteceu. A candidata Alice Portugal é uma pessoa correta, direita, uma deputada muito atuante, mas não conseguiu absorver a popularidade do governador”, explicou Otto em conversa com a Tribuna.  

Ainda durante a entrevista, Rui Costa atribuiu a alta popularidade de ACM à má gestão feita por João Henrique durante o seu segundo mandato. “Sempre que um prefeito assume, sucedendo um gestor mal avaliado, ele sobe rapidamente. ACM Neto sucedeu o prefeito João Henrique, que foi um desastre completo. ACM Neto assumiu nessas condições, elevou o IPTU em 3 mil por cento e ficou com caixa para obras”.


Outros destaques: