Laudo técnico definirá futuro do Centro de Convenções

Embora só vá emitir um posicionamento oficial quanto ao futuro do Centro de Convenções, o governador Rui Costa destacou ontem que a avaliação da gestão atual era de que o atual equipamento estava exaurido. “Se tem algo que sempre tive absoluta convicção, e que era diferente do mercado do turismo, que insistia que aquele equipamento ainda tinha vida longa, vocês conhecem muito bem minha posição, que sempre afirmei que o equipamento havia esgotado a sua vida útil”, disse o gestor, durante a inauguração do HGE 2.

Na última sexta-feira (23), parte do primeiro e segundo andar do Centro de Convenções desabou sob a marquise do imóvel ferindo três pessoas. O acidente ocorreu por volta das 21h, após uma forte chuva.   “O acidente que ocorreu, em plena obra de reforço, é uma comprovação disso (exaustão da estrutura antiga), mas eu prefiro dar detalhes depois de ver relatórios e ouvir os engenheiros”, afirmou o governador.   

O equipamento estava fechado devido às condições inadequadas e foram feitos estudos por empresas especializadas sobre a situação do prédio. Rui Costa vai aguardar a conclusão de um laudo técnico exigido pelos engenheiros  para dar um posicionamento definitivo tanto em relação ao acidente, quanto a área que sediará o novo equipamento. O gestor afirmou que se pronunciaria  ao longo da semana, assim que tiver conhecimento do laudo técnico.

 A perícia vai começar a trabalhar hoje, depois do prédio ter sido liberado na noite de ontem, 72 horas após o acidente
Ainda segundo o governador, os laudos recebidos posteriormente pelo governo apontavam que era possível a recuperação do equipamento e seu funcionamento de forma segura. “Os laudos que encomendei era para saber se era possível recuperar [o centro de convenções] e dar segurança.

Os relatórios que o governo recebeu era que era possível. E é esta obra que estava sendo feita, agora, eu não quero aqui avançar o que causou o acidente, pois só os técnicos poderão dizer. Naquele dia, vários tirantes novos tinham sido colocados, e no dia seguinte iriam ser colocados novos tirantes reforçando a estrutura. Preciso ouvir os engenheiros para saber o que aconteceu”, reiterou o gestor. 

Secretário de Turismo da época do início da reforma do equipamento, o deputado federal Nelson Pellegrino declarou ao site metro 1 que  “tudo que deveria ter sido feito para garantir a integridade estrutural foi feita. Eu disse ao Ministério Público e quero afirmar que eu jamais reabriria o centro sem um parecer de que a sua estrutura estava toda íntegra e capaz de suportar a carga. Essa era a minha decisão, estava fazendo na minha gestão as reformas, que prosseguiram com o secretário José Alves. E as medidas necessárias para garantir a integridade estrutural do Centro também foram tomadas”. 

MP
O Ministério Público da Bahia (MPBA) decidiu notificar a Secretaria de Turismo do Estado (Setur) e a empresa Metro Engenharia e Consultoria, que executa as obras de reparação no equipamento. A notificação foi enviada ontem (26), mas o governo só deve tomar recebimento a partir desta terça-feira. 

De acordo com a promotora Rita Tourinho, o MP busca agora ouvir todas as partes envolvidas na administração e na execução das obras no Centro de Convenções, a fim de apurar as responsabilidades pelo acidente. 

Segundo a promotora, foi feito um inquérito no qual se constatou que o equipamento não teria permissão para voltar a funcionar enquanto não estivesse confirmada a sua segurança para utilizá-lo. Rita Tourinho declarou que o objetivo do MP agora é apurar se as obras que estavam sendo realizadas no local seguiam critérios rigorosos para assegurar sua durabilidade ou se foram feitas sem estudos adequados.


Outros destaques: