Jovem negro é baleado pela polícia nos EUA, e mulher transmite cena ao vivo

Uma mulher gravou e transmitiu ao vivo pelo Facebook os últimos instantes de vida de seu namorado, um americano negro baleado por um policial em Minnesota.

O homem, de 32 anos e identificado por sua família como Philando Castile, morreu na noite de quarta-feira (5) durante uma blitz na cidade de Falcon Heights, segundo a polícia. Ele trabalhava como funcionário de um refeitório escolar. O veículo teria sido parado por ter uma luz de farol queimada.

STF/AFP
Jovem negro é baleado pela polícia nos EUA, e mulher transmite cena ao vivo1
Fotografias mostram cenas do vídeo gravado imediatamente após a polícia disparar contra Castile

Com o telefone celular, a namorada, identificada como Lavish Reynolds, passou a gravar a cena após o jovem ser baleado. No carro, também estava a filha dela, de apenas quatro anos.

“Meu Deus, não me digam que morreu, não me digam que meu namorado foi embora assim… Foi atingido por quatro tiros, senhor”, afirma Reynolds no vídeo, que foi visualizado mais de 1,7 milhão de vezes no Facebook Live. Nas imagens, é possível ver o homem no assento do motorista com manchas de sangue na blusa.

Segundo ela, Castile estava procurando a licença do veículo e seus documentos quando o policial atirou em seu braço. A polícia disse que a morte será investigada e que no local do incidente foi encontrado um revólver.

Castile tinha porte legal de arma de fogo. No vídeo, sua namorada diz: “[ele] estava tentando tirar seu documento de identidade e sua carteira do bolso. Disse ao agente que tinha uma arma de fogo e que ia pegar sua carteira, e então o policial atirou no seu braço”.

Jim Mone/Associated Press
Jovem negro é baleado pela polícia nos EUA, e mulher transmite cena ao vivo2
Diamond Reynolds, namorada de Philando Castile, filmou a cena a transmitiu pela internet

Segundo ela, o agente, cuja identidade não foi divulgada, era “chinês”. No vídeo é possível ver Castile sangrando em seu assento e o policial apontando a arma contra ele, do outro lado da janela. “Eu disse a ele para não pegá-la. Falei para colocar as mãos para o alto!”, grita o agente.

Perto do fim do vídeo, de dez minutos de duração, a filha de Reynolds, de quatro anos, tenta tranquilizar a mãe. “Está tudo bem, mamãe”, diz a menina. “Está tudo bem, estou aqui com você”

O caso de Castile se soma a uma série de episódios de violência policial contra americanos negros, como os de Ferguson (Missouri) e de Baltimore.

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com