Inadimplência das famílias do estado do Rio tem menor nível desde 2015

20 de setembro de 2018

Apesar de o nível de inadimplência das famílias do Rio de Janeiro ter caído ao menor nível dos últimos três anos e de o percentual de endividamento ter caído em agosto, cerca de 60% das famílias do estado afirmaram ainda ter alguma dívida.

Os dados foram divulgados hoje (20) pela Fecomércio RJ, com base em levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), e apontam que houve queda nos níveis de endividamento e de inadimplência entre as famílias do Rio de Janeiro de julho para agosto deste ano.

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) indica, por outro lado, que o nível de inadimplência em agosto alcançou o menor percentual desde 2015, com 23,9% do total das famílias. A menor taxa registrada anteriormente fora em março de 2015, alcançando 18,8%.

A Fecomércio constatou ainda que o percentual de 60,1% de endividamento entre as famílias entrevistadas com alguma dívida é o menor percentual desde junho de 2017, o que indica, segundo a CNC, “uma postura de precaução do consumidor em contrair novas dívidas”.

Na pesquisa, são considerados compromissos com cartão de crédito, cheque (especial e pré-datado), empréstimos (pessoais e consignados) e financiamentos (carnês, carro e imóvel).

Cai inadimplência

Sobre o nível de inadimplência, que em agosto alcançou 23,9% do total das famílias, a pesquisa da Fecomércio informa que, em julho, este percentual era de 24%, e em agosto do ano passado, de 30,8%.

“Ainda assim, o número de agosto representa cerca de 564 mil famílias com alguma dívida em atraso no cartão, cheque, empréstimos ou financiamentos”, constatou a pesquisa.

A menor taxa registrada anteriormente foi de 18,8% das famílias registrada em março de 2015. Os números de endividamento e inadimplência de agosto repetem os de junho deste ano.

Dívidas atrasadas

Em relação à quitação das contas em atraso, o número de famílias que afirmou não ter condições de pagar a dívida atrasada, do total de famílias entrevistadas, aumentou de 10% em julho para 11,1% em agosto. No entanto, em agosto do ano passado, esse percentual era bem maior: 16%.

De acordo com os dados da Fecomércio RJ, o tempo médio de atraso no pagamento das dívidas é de 59,5 dias. Para boa parte das famílias (41,3%), o tempo de atraso é superior a 90 dias. Para 28,7% os atrasos são de até 30 dias, e para 27,5%, entre 30 e 90 dias.

Já a perspectiva futura de comprometimento com as dívidas em agosto ficou igual ao mês anterior, com média de 7 meses, sendo que a maior parte dos entrevistados (32,5%) afirmou estar comprometida por mais de um ano à frente.

Cartão de crédito

Segundo o levantamento da Fecomércio RJ, em agosto o cartão de crédito continuou sendo a modalidade mais utilizada na contratação de dívidas no Rio de Janeiro, listado por 72,1% das famílias. O percentual, no entanto, caiu em relação ao mês de julho, quando 73,9% das famílias entrevistadas afirmaram ter dívidas no cartão – esta é a segunda queda seguida, desde junho.

Houve diminuição também em relação há um ano: em agosto do ano passado, este percentual era de 78%. Entre as principais dívidas listadas em agosto estão ainda os carnês (11,6%), financiamento de carro (10,7%), crédito pessoal (10,3), financiamento de imóvel (9,9%) cheque especial (7,7%) e crédito consignado (5,9%).

Leia também...

Loading...
Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com