Idosa comove a internet ao procurar emprego com cartaz na Avenida Paulista

O Dia

– Tereza Viega, aos 72 anos e analfabeta, recusa esmolas e diz que busca emprego. Internautas se emocionaram e criaram uma vaquinha para ajudar –

São Paulo – “Ofereço-me para trabalhar como diarista ou domestica”, dizia um cartaz que a senhora Tereza Viega, de 72 anos, segurava na Avenida Paulista, na tarde desta terça-feira. A situação inusitada chamou a atenção de um advogado ele resolveu tirar uma foto e postar nas redes sociais.

A imagem foi tirada pelo advogado Márcio Federighi e está ganhando a comoção de muita gente no Facebook. Postada no começo da noite dessa terça, a imagem já teve mais de 15 mil compartilhamento. Na fotografia, Tereza oferece serviços de diarista e passadeira e mostra, em um cartaz, nome e telefone de contato. 

À revista Veja, a senhora afirmou que é gaúcha, analfabeta e que mora sozinha em um quarto de pensão na Barra Funda, na Zona Oeste da capital paulista. De acordo com a reportagem, Tereza tem seis filhos, dos quais quatro vivem em outro Estado. 

A diarista conta como resolver buscar emprego. “Pedi para a vendedora de uma livraria escrever o cartaz pra mim”, conta ela à revista. Após a divulgação da imagem no Facebook, uma mulher ofereceu-lhe uma máquina de costura. “Recusei porque não sei costurar. Gosto mesmo é de fazer faxina”, conta. Nesta quarta-feira uma boa notícia! Dona Tereza conseguiu um serviço e vai trabalhar como diarista todas as sextas-feiras. 

O DIA entrou em contato com o advogado Márcio Federighi que gentilmente disse que preferia não se expor ainda mais com a história. 

Após ver a publicação, a tradutora Alessandra Siedschlag se mobilizou com a história e criou uma vaquinha para ajudar a diarista. Até agora, já foram arrecadados quase R$ 18 mil. “Eu abri a vaquinha com apenas R$ 1 mil. Em uma hora eu tomei um susto quando já tinha mais de R4 3 mil. Eu jamais imaginei essa repercussão toda”, contou Alessandra. 

“Eu falei com a dona Tereza e ela é muito ativa, mesmo tendo essa idade toda. Ela quer apenas trabalhar, ela não quer esmola. Minha amiga chegou a oferecer uma quartinho para ela, mas dona Tereza recusou. Ela disse que quer trabalhar para pagar as suas contas”, finaliza Alessandra Siedschlag.

Esta não é a primeira vez que dona Tereza causa comoção, Em 2012 ela apareceu em uma reportagem na qual procurava a nora grávida na Cracolândia de São Paulo. 
 

Reportagem de Rafael Nascimento


Outros destaques: