Forças de segurança cercam estudantes nicaraguenses em igreja

Estudantes nicaraguenses refugiaram-se na casa paroquial da Igreja Divina Misericórdia, em Manágua, onde permanecem cercados por um grupo das forças de segurança do governo federal, que, pouco tempo antes, tinha atacado a Universidade Nacional Autônoma da Nicarágua (Unam-Manágua). Eles estão no local desde a noite de sexta-feira (13).

“Os sacerdotes, com estudantes feridos dentro da paróquia, ainda esperam que alguém chegue para ajudar os feridos. Eles permanecem cercados pelas forças de segurança que realizam disparos”, denunciou, em sua conta do Twitter, o bispo auxiliar da Arquidiocese de Manágua, Silvio José Baez.

O grupo se refugiou na paróquia, anexa à Unam-Manágua, para onde estavam transferindo os estudantes feridos, que haviam ficado trancados durante várias semanas na sede da universidade para pedir a renúncia do presidente nicaraguense, Daniel Ortega.

Dom Silvio Baez manifestou sua “proximidade fraterna aos queridos sacerdotes, Raúl Zamora e Erick Cole, da Paróquia Divina Misericórdia”, que estão “em constante comunicação e buscando ajuda para os estudantes feridos e outras pessoas que estão na casa paroquial”.

Uma situação parecida aconteceu na última segunda-feira (9), na Basílica San Sebastián, em Diriamba, que fica a 40 quilômetros da capital nicaraguense, para onde seguiu uma delegação da igreja católica com o objetivo de libertar um grupo de opositores cercados por forças de segurança do governo.