Familiares de bebê levado por coronel reformado prestam depoimento

O Dia

– Mulheres foram à Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (Dcav) para falar do sumiço da irmã de 9 meses em 1993 após ser levada por Chavarry –

Rio – Duas mulheres prestaram depoimento nesta quinta-feira na Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (Dcav) e falaram do possível envolvimento no coronel da PM reformado, Pedro Chavarry Duarte, no desaparecimento de uma criança, na década de 90. O oficial, que está preso por estupro de vulnerável, teria levado a criança, que nunca mais foi vista.

“O depoimento delas é forte, muito emocionado, e narra que a irmã delas, com nove meses, foi retirada da residência delas pelo coronel e nunca mais foi localizada”, contou a delegada Cristiana Bento, titular da Dcav, em entrevista ao RJTV, da TV Globo.

Na época, as mulheres também eram menores e contaram que também tiveram contato com o coronel. “Elas também relatam que ficaram em uma residência com o coronel e que elas têm flashes de memória em que o coronel aparece passeando pela casa”, disse Bento.

Novas provas do crime de estupro contra menina

A delegada também contou que foram encontradas novas provas de que o estupro contra uma menina de 2 anos, praticado pelo coronel Chavarry, foi planejado. As investigações apontam que o PM contou com a ajuda de cúmplices.

No celular de Thuane dos Santos Pimenta, também presa por entregar a menina ao coronel, foram encontrados após perícia vídeos de pedofilia, com imagens de sexo envolvendo crianças.

“A Thuane sabia exatamente o que está fazendo. E esses vídeos, além de indicar um outro crime penal, que é o de armazenamento de imagens de crianças em cenas pornográficas, que ela também deverá responder por esse crime, indicam a personalidade dela e a intenção que ela tinha de entregar essa menina, um bebê, para o coronel”, explicou a delegada.


Outros destaques: