Evento da Paralimpíada deixa cratera no Maracanã

Ao que tudo indica o futebol carioca, particularmente, Flamengo e Fluminense, estão seriamente prejudicados na reta de chegada da Série A do Campeonato Brasileiro – Vasco e Botafogo tem seus estádios próprios – pois terão que esperar mais um pouco para mandarem seus jogos do Brasileiro no Estádio do Maracanã. Uma imagem aérea feita pelo repórter Emerson Rocha, da Rádio Globo, mostra um imenso e surpreendente buraco no centro do gramado, o que impossibilita a volta imediata dos clubes ao estádio carioca.

A cratera foi feita para realização da cerimônia de abertura dos Jogos Paralímpicos e tem 6,5 metros de comprimento, 4 metros de largura e aproximadamente 2 metros de profundidade, feito com a finalidade de sustentar o guindaste utilizado na cerimônia de abertura. A bailarina biamputada, a snowboarder americana Amy Purdy foi ‘desafiada’ pelo robô industrial Kuka e deu show de dança no palco montado no Estádio do Maracanã.

Os trabalhos para cobrir o buraco e recolocação de grama ainda nem começaram, que segundo a previsão da organização dos Jogos Rio-2016, seriam apenas uma questão de horas. Mas a previsão inicial é de que o Maracanã só esteja apto a receber jogos de futebol a partir da segunda quinzena de outubro, mas esse prazo pode ser maior caso o sistema de drenagem não fique pronto, já que também foi prejudicado com essa obra feita pelos organizadores do Rio 2016.
 


Outros destaques: