Estado decide construir um novo centro de convenções

Um novo Centro de Convenções será construído em Salvador. O atual, no Stiep, será demolido pelo governo estadual – proprietário do imóvel -, conforme anunciado pelo secretário da Casa Civil, Bruno Dauster. Em reforma, o Centro de Convenções da Bahia (CCB) teve parte do primeiro e segundo andares desabados na última sexta-feira, dia 23. 

Ontem, durante  vistoria realizada pelo Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil de Salvador (Codesal), Dauster explicou que primeiro o estado realizará um plano emergencial. A demolição do equipamento foi confirmada em nota, após determinação do governador Rui Costa. “A decisão está embasada em orientações técnicas, pois o sinistro abalou algumas estruturas fundamentais daquele equipamento que impedem a continuidade das obras de recuperação”, explicou o secretário. 

Desde quando assumiu o governo estadual, em janeiro de 2015, Rui Costa já manifestava a avaliação de que o atual prédio apresentava sinais de esgotamento. “Se tem algo que sempre tive absoluta convicção, e que era diferente do mercado do turismo, que insistia que aquele equipamento ainda tinha vida longa, vocês conhecem muito bem minha posição, que sempre afirmei que o equipamento havia esgotado a sua vida útil”, disse o gestor, que estuda a possibilidade de construir um centro de convenções no bairro do Comércio.

O secretário confirmou, em nota divulgada na noite de ontem, que o Congresso Internacional de Odontologia da Bahia (Cioba 2016), que seria realizado no CCB em novembro, vai acontecer na Fonte Nova. “A arena já era a alternativa, caso não tivéssemos 100% de segurança para reabrir o centro”, afirmou Dauster. 

Feito por estruturas de metais e placas de concreto, o imóvel antigo será desmontado. Numa primeira fase, haverá a remoção da área desabada e trechos que apresentam mais riscos. Em seguida, toda a edificação deixará de existir . O secretário também garantiu que o Governo do Estado está desenvolvendo estudos para definir o local onde será construído um novo centro.

A perícia do Departamento de Polícia Técnica (DPT) para apurar as causas do incidente será realizada tão logo o Corpo de Bombeiros Militar da Bahia garanta a estabilização da estrutura e, consequentemente, a segurança dos peritos. A demolição do equipamento só poderá ser realizada após a conclusão da perícia e a elaboração de um plano de desmonte.  “Uma obra de reforma como aquela não depende da apresentação de um projeto para que o alvará seja liberado pela Prefeitura. A obra estava regular e todas as taxas para emissão do documento também tinham sido pagas ao órgão municipal competente, o que chancelou as intervenções no local”, esclareceu Dauster. 

 A reforma do CCB estava na segunda etapa quando aconteceu o incidente. Na primeira intervenção, que recebeu o investimento de cerca de R$ 8 milhões, foram recuperadas vigas e telhas do Teatro Yemanjá e do Espaço Orlando. Pouco mais de R$ 1 milhão já havia sido destinado para a segunda etapa, que tinha termino previsto para 15 de outubro.


Outros destaques: