Esquerda carioca disputa voto a voto

O Dia

– Às vésperas das eleições, Jandira Feghali, em Bangu, e Marcelo Freixo, na Lapa, fazem megacomícios –

Rio – Na última semana da campanha eleitoral, Jandira Feghali (PC do B) e Marcelo Freixo (Psol) decidiram apostar suas fichas em grandes comícios com o apoio público de estrelas ligadas à esquerda. Ambos têm como estratégia a conquista de votos para chegar ao segundo turno e enfrentar o candidato do PRB, Marcelo Crivella.

Na Lapa, Freixo promoveu comício com a presença de Chico Buarque, Wagner Moura e parlamentares do partido. Em Bangu, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva subiu no palanque de Jandira. Sua campanha tem como enfoque a acusação de que Dilma Rousseff foi vítima de golpe.

Para Freixo, a eleição vai ser definida na reta final e a disputa está entre ele e Pedro Paulo. “Tenho um respeito muito grande pela história da Jandira, mas a disputa está entre mim e o Pedro Paulo. É hora de derrotar o PMDB. Não há dúvidas de que nossa candidatura é a mais capaz de vencer o Crivella no segundo turno”, disse Freixo. Durante o comício, ele chamou Pedro Paulo de covarde.

Enquanto isso, no Largo de Bangu, Lula destacou o apoio financeiro que deu ao Rio quando era presidente. E pediu ao público que não desanimasse com a queda de Jandira nas pesquisas — no Ibope ontem, ela caiu de 8% para 6%. “Não se deixem iludir, não há pesquisa que possa nos tirar da rua. Temos que trabalhar até a apuração”, afirmou.

Ao DIA, o deputado federal Chico Alencar (Psol-RJ) disse considerar legítima a candidatura de Jandira, mas explicou as diferenças que vê entre as campanhas. “Não podíamos, com pena de perder identidade, se coligar com PCdoB e PT. Tem uma década de que as divergências se concretizaram e outro projeto partidário foi criado. É claro que não vamos ficar malhando a Jandira. Eles que se expliquem sobre aliança com o PMDB”, argumentou.

No comício de Freixo, contudo, outro Chico, o Buarque, lamentou a fragmentação da esquerda. “Gostaria de ter visto uma frente progressista, mas hoje acredito que estaremos no segundo turno para ganhar bonito”.

Apesar da ‘guerra fria’ entre Freixo e Jandira, pesquisa Datafolha divulgada semana passada mostra que a comunista tem mais chances de herdar votos de Marcelo Crivella, que poderia perder 26% do eleitorado para ela. Freixo, porém, deve mesmo mirar na candidata do PCdoB, de quem pode roubar 29% dos eleitores.

O psolista, mesmo com programa voltado para as zonas Norte e Oeste, domina no eleitorado de renda acima de dez salários mínimos. “Ele tem um discurso muito voltado para os direitos humanos, o combate à milícia. Talvez precise explicar melhor como vai melhorar a vida da população mais pobre”, aponta o cientista político Ricardo Ismael, da PUC-Rio.

Reportagem do estagiário Caio Sartori


Outros destaques: