Escalação do Bahia: quarta-feira, o "Dia D" para o lateral Moisés

Depois do período de recuperação clínica para superar a lesão muscular grau 1 que sofreu na coxa, o lateral-esquerdo Moisés desceu na segunda-feira para os campos do CT do Fazendão, mas não voltou a trabalhar com o grupo, na terça-feira, alternando o tratamento médico com treino específico de recuperação física.

O médico Luiz Sapucaia garantiu que o jogador está conseguindo evoluir, mas preferiu aguardar a avaliação final dos trabalhos desta quarta-feira para saber se o jogador poderá jogar no sábado, contra o Ceará, na Arena Fonte Nova, no jogo de sábado à tarde, válido pela 33ª Rodada da Série B do campeonato Brasileiro.

Embora a improvisação de Tinga na lateral-esquerda não tenha comprometido o sistema de marcação do time do Bahia, os últimos dois jogos contra o Brasil de Pelotas e o Oeste de São Paulo, deixaram evidente que Moisés faz falta no esquema tático do treinador Guto Ferreira. Sem ele, o time perde força no ataque, sem o apoio do lateral-esquerdo, um recurso importante para este clássico nordestino de sábado à tarde, contra o Ceará, na Arena Fonte Nova.

“A gente sabe que o Moisés teve um estiramento grau 1. Não teve ruptura de fibra muscular, mas é em uma musculatura que é exigida nos movimentos dentro de campo. O adutor é importante para o chute, para o freio, para o arranque… É uma musculatura que tem recuperação lenta, mas o atleta vem evoluindo, sente ainda um pequeno desconforto, mas já está fazendo exercícios. Creio que até esta quarta-feira ele pode evoluir bem”.

O médico do Bahia não disse, mas deixou claro que a avaliação de hoje define a situação do lateral Moisés para o próximo jogo do Tricolor pela Série B do Brasileiro. Se não participar do coletivo, do trabalho com bola com o grupo, ele fica praticamente vetado, fora dos planos para este jogo de sábado na Arena. Por isso, todas as atenções desta quarta-feira no CT do Fazendão estarão voltadas para o trabalho e a reação do lateral-esquerdo, apontado pelo técnico Guto Ferreira como peça fundamental na formação tática de seu time. O jogador atuou 20 vezes nesta Série B do Brasileiro e marcou um gol.

O treino servirá também para definir o substituto do volante Luiz Antônio, suspenso pela terceira advertência do cartão amarelo. Quem espera pela volta de Feijão, pode se surpreender com a entrada de Renê Junior, ex-Ponte Preta, na frente de zaga do Tricolor contra o Ceará.
 


Outros destaques: