Empate contra o Flu não tira o Vitória do Z-4

O Vitória conseguiu cortar a sequência de quatro derrotas seguidas ao empatar com o Fluminense por 2 a 2, ontem, no Marcanã. O resultado, conquistado de forma dramática, nos últimos minutos do jogo, ainda deixa o Rubro-negro baiano em posição delicada na luta contra o rebaixamento para a Série B.

Jogando pela primeira vez no Maracanã após a disputa dos Jogos Olímpicos do Rio, Marcelo abriu o placar para o Rubro-negro baiano, mas Richarlison (cobrando pênalti marcado de forma equivocada pelo árbitro Nielson Nogueira Dias) e Cícero viraram o jogo ainda no primeiro tempo. Aos 43 minutos da etapa final, Marinho, sempre ele, apareceu e deu o empate ao time do Vitória. 

Com mais oito jogos a serem disputados pela 33° rodada, o Vitória precisa “secar” Internacional e Coritiba, que tem um e dois pontos a mais do que o Leão, respectivamente, para não ver a distância para os times fora da zona de rebaixamento aumentar.

O Internacional recebe o Santa Cruz, vice-lanterna, no Beira-Rio, enquanto que o Coritiba viaja até o Rio de Janeiro para enfrentar o Botafogo, no Estádio Luso-Brasileiro. Esses são os dois jogos que a torcida rubro-negra terá que ficar ligada. Ambos serão disputadas hoje. 

A próxima partida do Vitória, válida pela 34° rodada do Campeonato Brasileiro é no dia 6 de novembro, um domingo, às 16h (horário de Salvador), no Estádio Manoel Barradas, contra o Atlético do Paraná. 

Na partida de ontem, o time do técnico Argel Fucks até saiu na frente do placar com um gol do volante Marcelo aos 30 minutos do primeiro tempo. A estratégia do Vitória era clara: cometer o mínimo de erros possíveis e chegar em contra-ataques ou bolas paradas. Porém os erros aconteceram. Aos 36 minutos Richarlison foi lançado e Victor Ramos, atrasado na marcação, cometeu falta fora da área, que o arbitro Nielson Dias marcou como pênalti. Richarlison cobrou e empatou a partida. Ainda no primeiro tempo, Cícero virou para o time carioca acertando uma bela cabeçada.

No segundo tempo, o Vitória foi para cima e o Fluminense cometeu o pecado de administrar de forma demasiada a vantagem conquistada no primeiro tempo. O Rubro-negro foi chegando aos poucos, assustando o gol do goleiro Júlio César, até que aos 43 minutos do segundo tempo, no apagar das luzes, Marinho, que voltava ao time após lesão, fez as vezes de herói e empatou a partida, calando o Maracanã. 


Outros destaques: