Eleitores em 57 municípios voltam às urnas para escolher prefeitos no País

Mais de 30 milhões de eleitores em 57 municípios, inclusive 18 capitais, voltam às urnas no domingo (30/10) para escolher os prefeitos em segundo turno. As pesquisas de boca de urna só podem ser divulgadas depois de encerrada a votação, às 17 horas.

São Paulo é o estado com mais prefeituras em disputa: 13. Em seguida vêm o Rio de Janeiro, com 6, e Rio Grande do Sul, Pernambuco e Espírito Santo, com 4 cada. Nas capitais, o confronto que mais se repete é entre PMDB e PSDB, que se enfrentam em Porto Alegre, Maceió e Cuiabá.

O PSDB é o partido com o maior número de candidatos neste segundo turno (19), seguido pelo PMDB (16). O PSB tem 9; o PDT, 8; e PSD e PT, 7 cada. Neste domingo, 10 candidatos tentam a reeleição, e 14 deputados disputam prefeituras (ver quadro) – outros 2 concorrem a vice.

Impacto nos partidos

O PSDB, de acordo com o cientista político David Fleischer, foi o partido que mais se destacou nas eleições municipais até agora, principalmente com a vitória no primeiro turno do tucano João Dória em São Paulo.

Já o destaque negativo, segundo Fleischer, foi o PT, que perdeu em mais de 60% dos municípios que governava, caindo do 3º para o 10º lugar em número de prefeituras.

O resultado final das eleições municipais, avalia Fleischer, também deve ter consequências na disputa por vagas na Câmara em 2018.

“Temos mais ou menos uma regra nas eleições municipais: o partido que elege mais prefeitos, dois anos depois, vai eleger mais deputados, e vice-versa”, disse. “Já o partido que elege menos prefeitos vai eleger menos deputados dois anos depois.”

Preparativos

No dia da votação é proibido fazer boca de urna, comícios, carreatas, usar alto-falantes e amplificadores de som ou a qualquer tipo de propaganda de partidos ou candidatos. Mas o eleitor pode comparecer à seção eleitoral usando bandeira, broche ou adesivo de seu candidato, desde que fique em silêncio.

Em seis cidades haverá presença da Força Nacional: São Luís, Rio de Janeiro, Fortaleza, Curitiba, Ponta Grossa e Maringá. No primeiro turno, o Tribunal Superior Eleitoral autorizou o reforço na segurança em 467 municípios.


Outros destaques: