Diversão: Lili Rodriguez: Rio e arte

6 de setembro de 2017

O Dia

– Foi no Jardim do Jockey, na galeria Carpintaria, a inauguração da exposição de Adriana Varejão e da portuguesa Paula Rego, de 84 anos –

Rio – O Rio respirando arte… Ufa! Que bom! Pelo menos para dar um tempo no ‘climão’ da crise. Foi no Jardim do Jockey, na galeria Carpintaria, a inauguração da exposição de Adriana Varejão e da portuguesa Paula Rego, de 84 anos. Tons do Brasil e de Portugal davam um toque especial ao encontro. Paula estava em Londres – onde reside – e não pôde vir à vernissage. Muitos amantes de arte passaram pela abertura da mostra. Curadores e colecionadores internacionais conferiram as peças, que fi cam em exibição até o dia 4 de novembro.

Conectando…

Simone Mazzer será a mãe de Leo Bahia no musical infantojuvenil ‘Lá Dentro Tem Coisa’, baseado na obra ‘Partimpim’, da cantora e compositora Adriana Calcanhotto. No Teatro dos Quatro, sábados e domingos.

Até sábado, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia realiza o 61º Congresso Brasileiro de Oftalmologia, em Fortaleza.

A Expo Noivas & Festas realizará casamentos em parceria com o Cartório Mais Madureira, no Shopping Nova América, de quinta até domingo.

Será inaugurada hoje a Sala de Monitoramento e Análise Criminal do 31º Batalhão da Polícia Militar. O espaço foi montado com apoio da Associação Comunitária Bairro Seguro, como um espelhamento da Central de Monitoramento da Barra, que desenvolveu e patrocinou o projeto. O comandante, Coronel PM Sérgio do Carmo Schalioni, e o pres. da ACBS, Alfredo Lopes, receberão a imprensa. Às 10h.

Sinfônica do Samba, com a bateria do Império Serrano, Sombrinha, Renato da Rocinha e a participação especial de Diogo Nogueira, será no domingo, às 13h.

Elisa Santucci, dir. da Business Netwoork Internacional no Brasil, coordena seminário, hoje, no Copa Praia Hotel.

DOIS DEDOS DE PROSA

LEA NIGRI, joalheira

Fale sobre seu trabalho…

Tudo é importante no meu trabalho. Ter um lugar bom para atender aos clientes, ter peças boas, não fazer mistura em ouro e ter pedras de qualidade. Sou joalheira há 53 anos, então é importante ter confiança na praça. Qualquer coisa que você fizer de errado no trabalho é muito ruim. Em todos os setores, o principal é passar confiança.

Uma dica de investimento?

Eu considero que ouro e pedra sempre são bons investimentos para guardar, porque sempre valorizam.

Essa crise atingiu o setor?

Atingiu, sim. Antigamente, eu atendia seis clientes por dia. Hoje em dia, eu também atendo, mas fazendo promoções. Atingiu muito a classe média, sim. Já a classe alta nem tanto, mas ainda assim estão mais comedidos na hora de comprar.

Então, a joia não é mais exclusiva para o mercado de luxo?

Não. Ela é simbólica para ocasiões especiais, como casamento. Existem pessoas de classe média baixa que compram comigo.

Uma saia justa…

A maior saia justa que eu passo é quando chega uma pessoa cuja mãe morreu e deixou uma pedra de herança. Normalmente, não é brilhante. Alguém trocou a pedra por um zircone.

Fale de um sonho…

Que Deus me ajude a chegar a um pouquinho mais de idade, inteira, lúcida, sem dar trabalho para meus filhos. E ver meu neto Daniel casar, mas ele ainda tem 11 anos (risos), então acho que não vou conseguir.

Como é trabalhar com sua filha, Ester Nigri?

Trabalhar com minha filha é uma dádiva.

 

Leia também...

Loading...
Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Leitores On Line