Dilma participa de ato "contra o golpe"

21 de setembro de 2016

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) estará amanhã em Salvador para participar de uma caminhada que sairá do Campo Grande, às 15h, e seguirá até a Praça Castro Alves. A visita da petista foi articulada pela Frente Brasil Popular (FBP), pela Frente Povo Sem Medo (FPSM) e também pela coordenação de campanha da candidata à prefeitura Alice Portugal (PCdoB), que chegou a postar um vídeo nas redes sociais convidando para o evento.

A mobilização fará parte do Dia Nacional de Paralisações, que tem atividades marcadas em todas as capitais contra a proposta de reforma trabalhista e previdenciária de Michel Temer. “Dilma é uma mulher guerreira, que assim como eu lutou sua vida inteira pela democracia e pela justiça social”, comentou Alice. “Salvador é a capital que tem a maior rejeição a Temer e ao impeachment de Dilma. A população soteropolitana tem plena consciência de que a presidenta foi vítima de um golpe”.

A comunista disse ainda que considera o impeachment da ex-presidente “fraudulento, pois ele ocorreu sem Dilma ter cometido nenhum crime de responsabilidade, conforme conclusão do próprio Ministério Público Federal”. “Nestas eleições, defender a democracia, tendo Salvador como a capital que rejeita o impeachment, é uma forma de fortalecermos essa luta. Salvador é administrada por um prefeito que foi completamente a favor do golpe, inclusive esteve na Câmara para orientar os deputados de seu partido a votarem pela admissibilidade do impeachment”, prosseguiu.

De acordo com um dos líderes da Frente Povo Sem Medo, Walter Takemoto, a atividade não está atrelada à campanha de Alice nem de qualquer outro candidato nas eleições de Salvador. “Claro que temos como bandeira a defesa dos direitos trabalhistas, da democracia e contra o golpe. Não somos contra a participação de nenhum partido que esteja na luta contra o golpe e contra o presidente golpista.

Qualquer candidato que estiver contra o golpe pode participar, assim como qualquer cidadão”, explicou. Ainda segundo Takemoto, a vinda do ex-presidente Lula também está sendo articulada, mas deve ocorrer apenas nas próximas semanas.

Conforme explicou na semana passada o presidente estadual do PT, Everaldo Anunciação, as recentes denúncias do Ministério Público Federal (MPF) contra Lula não prejudicariam a agenda do petista na capital baiana. “Nossa agenda está mantida, porque o povo quer ver Lula, falar com ele. E Lula quer falar com o povo”, argumentou Anunciação. 

“Ela precisa explicar situação do país aos baianos”

Para o presidente municipal do DEM, Heraldo Rocha, a visita da ex-presidente Dilma Rousseff a Salvador é oportuna. 
Ele defende que na ocasião a petista explique a grave situação no país. 

“São 12 milhões de desempregados, as pessoas estão morrendo na porta dos postos de saúde. Ela deixou o país com uma crise ética, social e moral. Que ela explique o rombo na Petrobras, a compra de Pasadena. Será que ela continuará mentindo para a população?”, questionou. 

“A crise é muito grave, e é uma crise de credibilidade também. É também uma crise externa, um caos total. Graças a Deus o impeachment foi uma solução política, mas constitucional”, destacou.

O democrata também criticou a oposição, sobretudo o PT, por conta do discurso de “golpe”. “Não houve golpe porque foi constitucional. O processo cumpriu rigorosamente o que determina o STF. A última sessão de cassação demonstrou isso mais uma vez”. E prosseguiu: “Ela [Dilma] tem a obrigação e o dever de explicar ao povo baiano como deixou o nosso país nessa situação. É uma obrigação como cidadã, porque ela não é mais uma autoridade”. 

Leia também...

Loading...
Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Leitores On Line