Dilma classifica possibilidade da prisão de Lula como 'absurdo'

A ex-presidente Dilma Rousseff concedeu nesta terça-feira, 27, sua primeira entrevista à televisão após o impeachment. A entrevista foi realizada na TVE, em conversa com o jornalista Bob Fernandes.

Entre os assuntos, falou da prisão temporária do ex-ministro Guido Mantega, com “critérios não oficiais de investigação da corrupção no Brasil, que prendem Mantega e deixam (Eduardo) Cunha (ex-presidente da Câmara dos Deputados) solto”. Também analisou alguns aspectos da atual governo de Michel Temer (PMDB) e fez um balanço dos erros e acertos de seus mandatos como presidenta.

Dilma comentou a possibilidade de prisão do ex-presidente Lula (PT) e afirmou que “esse absurdo” não deve ocorrer. Para a petista, “não serão burros” em transformar o possível candidato petista à Presidência da República em um “herói”. “Não acredito que eles cometam esse absurdo.

Não porque eles são bons, mas porque acredito que também não são burros. Pois (isso) transformará a prisão de uma pessoa visivelmente injustiçada em um herói e isso eu acho que eles não quererão. Eu acho que a estratégia é tentar inviabilizar a sua candidatura em 2018. (…). Houve um golpe parlamentar. As forças que deram o golpe têm muito interesse em que o Lula seja julgado e condenado”, disse.


Outros destaques: