Defesa Civil instala novas sirenes de emergência em duas localidades de Salvador

Mais três sirenes de emergência começam a ser instaladas pela Defesa Civil (Codesal) em duas localidades de Salvador, a partir desta terça-feira (27).

As áreas contempladas são a Vila Picasso, no bairro de São Caetano, e o bairro do Calabetão, sendo esta última contemplada com dois equipamentos. Além disso, o órgão realiza a substituição dos alarmes afixados na Rua Coronel Pedro Ferrão, na Liberdade, Baixa de Santa Rita, em São Marcos, e Mamede, em Plataforma – esta também com duas sirenes –, e Marotinho, no Bom Juá.

Os equipamentos auxiliam os técnicos do órgão na prevenção de acidentes e, principalmente, são importantes para preservar a vida dos cidadãos que moram em áreas de risco.

A substituição faz parte das inovações implementadas por meio da Nova Codesal, que dispôs de estrutura e sistema mais modernos para o órgão.

As novas sirenes são mais robustas e possuem alcance maior, além de contar com a expansão da rede de comunicação, proporcionando o uso de toques diversificados para cada circunstância: em caso de chuva intensa, o sistema emitirá determinado som, que será diferente daquele emitido em alertas de atenção.

Os toques determinando a necessidade de mobilização (evacuação) e desmobilização (retorno aos lares após o perigo passar) também serão distintos a partir de agora. 

As alterações serão introduzidas gradativamente, por meio de exercícios simulados. A implantação dos equipamentos é acompanhada pelo setor de meteorologia da Codesal.

Para o meteorologista Ricardo Rodrigues, A substituição dos equipamentos por uma versão mais moderna melhora e dá mais praticidade, por ser um equipamento de qualidade superior e com mais funcionalidades e com uma resposta mais rápida, em sintonia com o sistema, algo que os anteriores não proporcionam.

"A partir dessa modernização, conseguimos executar um monitoramento mais ágil, dentro de um cronograma preestabelecido no Plano de Prevenção de Defesa Civil (PPDC) e, nesse contexto, é observada a quantidade de chuva em determinado período. Assim, ao se perceber uma situação adversa se aproximando, temos condições imediatas de alertar a comunidade de forma a oferecer uma ação completa e de maior eficácia", informa Ricardo Rodrigues.

Alerta e Alarme 

 Batizado de Sistema de Alerta e Alarme, a medida contou com o investimento de R$ 4 milhões e funciona de forma integrada a pluviômetros instalados em cinco bairros da capital: São Marcos, Baixa do Fiscal, Bom Juá, Marotinho e Alto da Terezinha.

Ao menor sinal de risco, os agentes comunitários e líderes locais capacitados pela Codesal recebem, diretamente no celular, mensagens de texto (SMS).

As sirenes são acionadas diretamente do Centro de Operações da Codesal, aliadas a um moderno sistema de análise climatológica, que dispõe de informações diárias sobre temperatura, clima e índice pluviométrico para a cidade, e pode ser consultado diretamente no site do órgão.

“Essa ação faz parte da modernização da Codesal. Nosso principal objetivo é atuar preventivamente e, para isso, estamos usando toda a tecnologia necessária, não apenas as sirenes, mas temos também pluviômetros automáticos e semiautomáticos, Estação Total Robotizada com os prismas e o radar meteorológico. Tudo isso é em prol da segurança do soteropolitano”, explica o diretor-geral da Codesal, Álvaro da Silveira Filho.


Outros destaques: