Corte de 15% nas despesas atinge 4 lutadores do Brasil

A temida barca de demissões do UFC voltou a assombrar os lutadores No último final de semana. A organização dispensou 13 atletas de seu plantel, incluindo quatro brasileiros  Caio Monstro, Glaico França, Leonardo Leleco e Alberto Uda. No meio de semana, o peso pesado Antônio Pezão já havia acertado a rescisão de contrato com o show. Na lista, há um baiano: Leonardo Leleco, atleta do Vitória. 

O lutador Rubro-negro, de 34 anos, estreou na organização máxima do MMA no início da temporada. Ele disputou duas lutas e perdeu em ambas. O retrospecto recente dos brasileiros dispensados não era bom. Glaico França, campeão do TUF Brasil 4 chegou com moral no show, mas fez apenas três lutas no show. Ele venceu a final do reality show contra Fernando Açougueiro, mas foi derrotado por James Vick e Gregor Gillespie. Monstro, que estava no UFC desde 2012 e tinha sete lutas no Ultimate, acumulou perdas seguidas para Josh Samman e Brad Tavares.

Adquirido por US$ 4 bilhões  pelo grupo WME-IMG, há três meses,  UFC pretende cortar 15% do quadro de funcionários, do alto escalação ao elenco de lutadores, até o fim do ano. Outros atletas que foram demitidos são Cody East, Cory Hendricks, Enrique Marin,  Kenny Robertson, Kevin Casey, Sean Spencer. Shane Campbell e Tamdan McCrory.  Recentemente, o brasileiro Antônio ‘Pezão’ Silva  também deixou o Ultimate.