Corpo de médico desaparecido é identificado pela polícia técnica

Um exame de arcada dentária identificou o corpo do médico Luiz Carlos Correia Oliveira, 62 anos, desaparecido desde o dia 2 de outubro. Encontrado na Via Parafuso, no último dia 14, em um matagal em Simões Filho, o corpo encontrava-se em estado avançado de esqueletização – estado mais do que avançado de decomposição. 

A identificação foi realizada através de comparação feita com os exames odontológicos cedidos pela família da vítima, na última semana.

O Departamento de Antropologia Forense ainda confecciona outros laudos para revelar a causa da morte.

De acordo com o diretor do Instituto Médico Legal (IML), o perito médico Mário Câmara, a identificação via arcada dentária é tão segura quanto a de DNA ou pela datiloscopia (através das digitais).

O pedido para a remoção do corpo, abandonado próximo ao local onde o veículo foi encontrado, partiu da 22ª Delegacia Territorial (Simões Filho), no dia 14 de outubro, data em que chegou ao IML. Desde então, o corpo foi preparado para receber a perícia antropológica, iniciada na última sexta-feira (21) e concluída na manhã desta terça (25).

O caso é investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa.


Outros destaques: