Corpo de Marcos Falcon é enterrado no Rio

O Dia

– Presidente da Portela foi morto a tiros, nesta segunda-feira, no seu comitê de campanha, na Zona Norte –

Rio – Morto a tiros em seu comício de campanha, em Madureira, na Zona Norte, o presidente da Portela, Marcos Falcon, foi enterrado por volta das 16h30 desta terça-feira, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, Zona Oeste. Pela manhã, o corpo foi velado na quadra da escola de samba, com a presença do prefeito Eduardo Paes e Tia Surica. Centenas de pessoas foram ao velório de Falcon e depois foram até o enterro em cinco ônibus contratados pela Azul e Branca. 

Tia Surica estava em lágrimas e se emocionou ao falar de Falcon, que era candidato a vereador pelo Partido Progressista (PP). “Eu não era mãe biológica, mas para mim é como se ele tivesse saído das minhas entranhas. Eu perdi um pedaço de mim”, disse, aos prantos. O caixão do presidente foi coberto com uma bandeira da Portela, com um quede da Polícia Militar, uma faixa da candidatura a vereador, uma bandeira da Liesa e um chapéu da agremiação.

O corpo de Marcos Falcon chegou na quadra da Portela por volta das 6h30 da manhã e começou a ser velado em frente ao palco por amigos e familiares. Às 8h, os portões da escola abriram para todo o público. Selminha Sorriso, mulher de Falcon e porta-bandeira, esteve presente, mas passou mal e precisou de atendimento médico. Duas filhas do policial, Marcele e Aline, também foram amparadas por amigos. Ele tinha sete filhos, mas nenhum com Selminha, que tinha um filho de outra relação.

Cerca de 80 pessoas, a maioria participava da campanha do presidente e outras da escola, entraram bradando o nome do candidato a vereador e percorreram a quadra até o caixão prestando homenagens. Com a morte de Falcon, o vice-presidente, Luiz Carlos Magalhães, já assumiu a presidência da escola. Ele também está presente no velório.

O delegado Breno Carnevale, assistente da Delegacia de Homicídios (DH-Capital), disse que pelo menos 15 disparos foram feitos pelos homens que assassinaram Falcon. Destes disparos, quatro teriam acertado o corpo do presidente. Novas diligências estão sendo realizadas na região.

De acordo com Carnevale, o objetivo é colher mais informações para ajudar nas investigações. Ainda na segunda-feira, oito pessoas foram ouvidas na DH, entre elas três testemunhas oculares do crime. Imagens de câmeras estão sendo analisadas.

Horas após o crime, o delegado Rivaldo Barbosa, diretor do Departamento de Homicídios do Rio, confirmou que foi uma execução e que o presidente da Azul e Branca foi atingido por diversos tiros.

“Foi uma ação direcionada, criminosa e sumária. Reunimos todos os parentes na DH, para termos uma ideia se ele relatou algum tipo de ameaça. Estamos buscando informações na localidade, onde era uma pessoa muito querida. Vamos dar uma resposta necessária e suficiente. Vamos nos empenhar ao máximo”, reforçou o delegado.

A diretoria da Portela declarou 10 dias de luto oficial após o assassinato do presidente da escola de samba. No atentado, o tesoureiro da escola, Felipe Guimarães foi atingido por um tiro de raspão.

Em nota divulgada no Facebook, nesta noite, a agremiação lamentou a morte do presidente e disse que todos os eventos que seriam realizados nos próximos dias na quadra foram cancelados. “As atividades no local só serão retomadas no dia 6 de outubro. O barracão da Cidade do Samba também não funcionará nos próximos dias”, completou. A Azul e Branca afirmou ainda que o vice-presidente Luis Carlos Magalhães vai assumir a presidência da escola.


Outros destaques: