Consulados acompanham situação de adolescentes em abrigos nos EUA

9 de agosto de 2018

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, informou hoje (9) que o Itamaraty continua acompanhando a situação de oito adolescentes brasileiros enviados a abrigos nos Estados Unidos por terem entrado no território norte-americano desacompanhados dos responsáveis.

Segundo o chanceler brasileiro, a situação desses menores é diferente da de mais de 50 crianças brasileiras que foram enviadas a abrigos nos Estados Unidos, após entrarem ilegalmente no país acompanhado de suas famílias.

“Eles querem ficar nos Estados Unidos, em primeiro lugar. E estão sujeitos às restrições administrativas previstas na lei de imigração americana. Estão buscando famílias que possam acolhê-los e se responsabilizar por eles. As autoridades americanas são muito rigorosas para saber se a família tem realmente condições de recebê-los”, disse Nunes, em entrevista após a primeira Reunião do Diálogo Político-Militar Brasil-Chile, no Palácio Itamaraty, em Brasília.

Os ministros chilenos da Defesa Nacional, Alberto Espina Otero e das Relações Exteriores, Roberto Ampuero e os ministros brasileiros Aloysio Nunes,e Joaquim Silva e Luna durante assinatura de atos e declaração à imprensa.

Os ministros chilenos da Defesa Nacional, Alberto Espina Otero, e das Relações Exteriores, Roberto Ampuero, e seus homólogos brasileiros Aloysio Nunes e Joaquim Silva e Luna durante assinatura de atos e declaração à imprensa – Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O chanceler acrescentou que os consulados brasileiros estão acompanhando “com carinho” cada um desses casos. De acordo com o ministério, os adolescentes estão em abrigos em Nova York, Illinois, no Texas e no Arizona. Eles podem ser enquadrados na lei de migração, e não na de tolerância zero – que provocou a separação das famílias de imigrantes.

Muitos adolescentes, segundo o Itamaraty, quando estão em idade próxima à maioridade, tentam entrar sozinhos nos EUA ou com parentes que não são os responsáveis legais.

“Há menores que estão em abrigos nos EUA por terem ingressado ilegalmente no país, porém desacompanhados dos responsáveis. Os agentes consulares mantêm visitas regulares aos abrigos, para prestar apoio e assegurar que estão recebendo os cuidados devidos”, informou o ministério à Agência Brasil, na terça-feira (7).

O Itamaraty informou que todas as crianças brasileiras que foram separadas dos pais, em decorrência da política de tolerância zero do governo do presidente Donald Trump, já estão reunidas com as famílias.

Leia também...

Loading...
Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com