Comerciantes temem abrir estabelecimentos após morte de Fat Family

O Dia

– Portas de comércios seguem fechadas nesta terça-feira. Ordem de bandidos seria para manter fechados estabelecimentos por três dias –

Rio – Um dia após a morte do traficante Nicolas Labre Pereira de Jesus, o Fat Family, o comércio na região do Catete, na Zona Sul, segue fechado. A insegurança faz os comerciantes temerem subir as portas dos estabelecimentos na manhã desta terça-feira. No bairro fica o Morro Santo Amaro, reduto do criminoso e onde ele era o chefe do tráfico. 

A ordem dada pelos traficantes do Santo Amaro seria de que o comércio deve ficar três dias fechado, mas muitos não sabem precisar se isso é real. Com isso, a maioria não não arriscou abrir lojas, lanchonetes, bares e loteria nas ruas do Catete e Pedro Américo, onde funcionários estão dentro dos estabelecimentos. O clime é de apreensão e incerteza. 

O corpo do criminoso será enterro às 13h30 no Cemitério São João Batista, em Botafogo. Informações dão conta que uma salva de tiros será feita no momento do sepultamento do traficante, o que provoca medo em quem vive e trabalha na região.

Helicóptero com infravermelho ajudou a localizar Fat Family na mata

A localização do traficante Nicolas Labre Pereira de Jesus, o Fat Family, no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, foi feita com a ajuda de um helicóptero com tecnologia que filma em infravermelho. Com o local exato de onde estava o traficante, os agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) realizaram o cerco, que acabou na morte de Fat e dois comparsas. 

O Disque-Denúncia divulgou que as informações repassadas por eles à Core foram que deram início ao cerco contra os criminosos. Por ser uma região distante da entrada do Salgueiro e de difícil acesso, a Polícia Civil utilizou aeronave, equipada com um equipamento chamado FLIR, que filma com infravermelho. 

Agentes o encontraram em Itaoca, no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo. Houve intenso confronto na região antes de o criminoso ser morto. Dois comparsas do bandido que estavam armados com fuzis também morreram no confronto, de acordo com o delegado da especializada Fabrício Oliveira.

Fat Family foi resgatado, em julho deste ano, do Hospital Municipal Souza Aguiar por um grupo de 20 traficantes. Durante a fuga, um inocente foi morto e dois ficaram feridos.


Outros destaques: